iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

14/08 - 19:52

Pressão não assusta e reforço alvinegro está pronto para estrear
“Pressão sempre vai existir. Não sai do Vasco por causa da pressão da torcida. Foi o conjunto da obra", disse

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Perseguido pela torcida do Vasco da Gama, Morais resolveu mudar de ares e, nesta quinta-feira, iniciou um novo ciclo no Corinthians, curiosamente o time que tem uma das torcidas mais apaixonadas e exigentes do pais: a Fiel.

Em sua chegada ao Parque São Jorge, o alagoano de 24 anos mostrou personalidade e, além de assegurar que não teme a pressão que certamente virá das arquibancadas, negou ter deixado São Januário apenas pelos problemas com os torcedores.

“Pressão sempre vai existir. Não sai do Vasco por causa da pressão da torcida. Foi o conjunto da obra. Se fosse por pressão, não teria vindo nunca para o Corinthians. Nunca fugi de responsabilidade”, garantiu o meia, que já se colocou à disposição de Mano Menezes para estrear.

“Vinha treinando fisicamente e, assim que meu nome aparecer no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF e o técnico Mano Menezes quiser, estarei à disposição”, assegurou.

O jogador evitou entrar em detalhes sobre o citado “conjunto da obra” que o levou a deixar São Januário, mas garantiu ter deixado o Vasco da Gama pela porta da frente e pronto para reencontrar seu bom futebol, agora na capital paulista.

“As coisas não vinham acontecendo de uma forma boa para mim lá e já não tinha tanta felicidade de jogar futebol. Procurei sair amigavelmente, conversar com todos da diretoria e com o treinador. Saí numa boa. Agora é bola pra frente. Estou em um grande clube e vou procurar fazer minha parte, pois fazendo isso as coisas acontecem”, apostou.

Contratado por empréstimo até julho de 2009, Morais, ao ser apresentado pelo vice-presidente Mário Gobbi, ouviu o dirigente lhe desejar sorte “nos meses em que estiverem juntos”. Questionado se terá uma passagem curta pelo Parque São Jorge, sorriu: “Não posso prever o futuro, mas, fazendo um bom papel, tudo acontecerá da melhor forma possível”.

Dura da família: A pressão dos corintianos para que Morais se saia bem em seu novo clube já começou. Bem-humorado, o meia revelou que recebeu um telefonema de um primo que mora em São Paulo para falar sobre sua chegada à Fazendinha.

“Tenho família aqui: tios e um primo, o Fernando, que é corintiano louco, que vivia gritando Ronaldo (ex-goleiro). Brincava com ele que um dia cairia aqui. Já me ligou e deu dura. Falou ‘bem-vindo à nação’, mas avisou para vir e jogar bola, não ficar de bobeira não”, concluiu.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo