iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

14/08 - 00:08

Em duelo de mistos, Vasco abre boa vantagem sobre Palmeiras
Na partida de volta, cariocas podem até perder por um gol (se não marcarem) ou dois (se fizerem dois)

Gazeta Esportiva


RIO DE JANEIRO - No confronto de dois times recheados de reservas, se deu melhor nesta quarta-feira a equipe mais jovem. Atuando em São Januário, o Vasco encerrou seqüência de derrotas ao vencer o Palmeiras por 3 a 1 no jogo de ida da primeira fase da Copa Sul-americana. Na partida de volta, em 17 de setembro no Palestra Itália, os cariocas podem até perder por dois gols de diferença, caso faça ao menos dois, para se classificar. Assista aos gols no player ao lado >>

Tendo os contra-ataques pela esquerda como principal arma, a equipe da casa conseguiu abrir o placar com Alan Kardec, desviando cruzamento aos 22 minutos do primeiro tempo. Dois minutos depois, Jefferson empatou, mas na etapa final os cruzmaltinos abriram vantagem. Matheus fez o seu aos sete e Madson, em cobrança de pênalti, fechou o resultado.

O jogo
No time misto que preparou para jogar em São Januário, Vanderlei Luxemburgo soube de última hora que não poderia relacionar Valdívia nem para o banco de reservas, já que as negociações do chileno com o Al Ain, dos Emirados Arabes, está adiantada. O técnico, então, escalou o Palmeiras no 3-5-2, com a clara intenção de explorar seus laterais, Elder Granja e o reserva Jefferson.

Também sem seus principais jogadores, o Vasco entrou em campo com a mesma alternativa, mas apostando apenas no lado esquerdo. As constantes movimentações de Edu, Madson e Alex Teixeira davam trabalho para a defesa palmeirense e obrigava Elder Granja a voltar para a defesa. Por ali, o início cruzmaltino era melhor. Os cruzamentos, porém, sempre paravam na zaga.

Aos poucos, os visitantes, com atletas mais experientes que os adversários, passaram a ser mais constantes no ataque. Em busca de um lugar no time titular, Denílson comandava as ações ofensivas, abrindo espaço para a passagem de Jefferson e buscando as tabelas com Kléber.

Os cariocas, por sua vez, eram rápidos no contra-ataque e tiveram grande chance de abrir o placar em chute de primeira de Alan Kardec que o estreante Bruno defendeu bem. Na segunda oportunidade, o atacante não desperdiçou. Após cruzamento da esquerda, o vascaíno se antecipou a Gladstone e desviou no canto de Bruno para fazer 1 a 0 aos 22 minutos.

O gol abafou os protestos da torcida, que foi a São Januário para entoar gritos de revolta contra a situação do time no Campeonato Brasileiro. E a paz durou pouco. Dois minutos depois, o Palmeiras empatava. Denílson fez linda jogada na entrada da área e lançou Elder Granja, que chegou à linha de fundo e cruzou. A bola passou pelo goleiro Roberto e sobrou para Jefferson tocar para as redes e comemorar seu primeiro gol pelo Verdão.

O empate animou os visitantes, que passaram a dominar o jogo. Jefferson, Denílson e Kleber ganharam como auxílio na busca por mais um gol um Maicosuel mais aceso, abusando das jogadas individuais para arrematar. As melhores chances, contudo, passavam pelos pés de Denílson.

Esforçado, o camisa 19 criou grande oportunidade ao roubar a bola da zaga e rolar para Maicosuel. O ex-cruzeirense escorregou, quando estava à frente de Roberto, mas a bola ainda sobrou para Elder Granja bater. A bola tinha o gol como endereço, mas foi cortada a tempo pela zaga vascaína.

Sem muitas alternativas, os donos da casa continuavam à espera de um erro adversário. Opção mantida para o segundo tempo, quando o ataque palmeirense ganhou o reforço de Diego Souza, que entrou no intervalo junto com Jumar nas vagas de Mauricio e Sandro Silva. Quem voltou mais eficiente, no entanto, foi o Vasco.

Melhores no toque de bola, os cruzmaltino contaram com grande jogada de Alex Teixeira para voltar a ficar em vantagem no marcador. O atacante limpou a marcação na linha de fundo e rolou para Vitor, que girou e ajeitou para Matheus acertar um belo chute de primeira, no canto direito de Bruno. Nova festa e trégua da torcida em São Januário.

Com Denílson cansado, o Palmeiras perdeu força no ataque. Kléber sucumbiu à marcação do zagueiro Vilson, Maicosuel estava apático e Jefferson já não aparecia tanto. Desta maneira, a única chance de empate eram em esporádicos chutes de fora da área. Todos defendidos por Roberto ou desviados pelos esforçados defensores cariocas.

Para piorar a situação dos paulistas, o árbitro gaúcho Leonardo Gaciba viu pênalti duvidoso em choque de Gustavo com Wagner Diniz. Na cobrança, Madson deu a paradinha para bater no canto esquerdo de Bruno e deixar o Vasco em boa vantagem para o duelo de volta, em 17 de setembro, às 22h, no Palestra Itália.

FICHA TÉCNICA
VASCO 3 X 1 PALMEIRAS

Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 13 de agosto de 2008, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa-RS)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Roberto Braatz (Fifa-PR)
Cartões amarelos: Vílson e Gallo (Vasco); Elder Granja e Kléber (Palmeiras)

Gols:
VASCO: Alan Kardec, aos 22 minutos do primeiro tempo; Matheus, aos sete, e Madson (pênalti), aos 41 minutos do segundo tempo.
PALMEIRAS: Jefferson, aos 24 minutos do primeiro tempo.

VASCO: Roberto; Marquinhos, Anderson, Vílson e Edu; Victor, Matheus (Rodrigo Antônio), Gallo (Wagner Diniz), Madson e Edu; Alex Teixeira e Alan Kardec (André Luiz)
Técnico: Tita

PALMEIRAS: Bruno; Gustavo, Gladstone e Maurício (Diego Souza); Elder Granja, Sandro Silva (Jumar), Léo Lima, Maicosuel e Jefferson; Kléber e Denílson (Lenny).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo