iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

08/08 - 14:14

Muricy acredita em briga maior pela ponta

Técnico destaca vantagem do Grêmio, que não mexe mais no time e ainda tem se reforçado

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - O Grêmio conseguiu emplacar uma boa seqüência de resultados positivos e carrega a liderança do Campeonato Brasileiro há cinco rodadas. O técnico Muricy Ramalho entende que o planejamento é o trunfo do time gaúcho, mas prevê um aumento do número de clubes na briga pela ponta no segundo turno.

“A chance do Grêmio aumentou porque eles não vão mais mexer no elenco e estão se reforçando. Os outros times estão mexendo demais e, por isso, o entrosamento demora um pouco. O Grêmio pode levar vantagem”, afirmou o treinador são-paulino, que aponta outras equipes que podem entrar na briga, que já conta com times como Cruzeiro, Palmeiras e o próprio São Paulo.

“Se as equipes não mexerem no plantel, com certeza a briga pode aumentar. As equipes estão se reforçando. O Botafogo está melhorando, o Inter está contratando, o Coritiba está indo bem... Vai aumentar o numero de times na briga pela primeira colocação”, comentou.

Com a experiência de quem levou o São Paulo ao título das edições de 2006 e 2007, Muricy Ramalho reiterou que a preocupação com o elenco é o mais importante para as equipes que sonham em chegar ao troféu desta temporada.

“Como em todos os anos, o que faz a diferença em um campeonato longo por pontos corridos é o plantel. Quem mexer menos e tiver peças de reposição vai ganhar”, afirmou.

O São Paulo ocupa a quarta posição no Campeonato Brasileiro, com 30 pontos, oito atrás do Grêmio. Agora, o Tricolor se prepara para enfrentar o Goiás, neste sábado. Na rodada seguinte do Nacional, o adversário do time de Muricy será justamente o líder da competição.

“Nós temos de ganhar de todo mundo, não adianta só pensar em vencer o Grêmio. Mas o objetivo fica mais voltado mesmo em ganhar do líder porque o foco de todos os times é a primeira colocação”, finalizou.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo