iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

08/08 - 09:05

Brasileiros de saída do CSKA Moscou
Time investiu em brasileiros e conquistou taças, mas relação acabou

Trivela.com

MOSCOU (Russia) - O primeiro a chegar foi Daniel Carvalho, em 2003. Após de destacar no Internacional e nas seleções menores do Brasil, o habilidoso meia foi contratado pelo CSKA Moscou aos 20 anos e se tornou um desbravador. Com seu sucesso imediato no clube, a diretoria russa gostou da idéia e foi buscar mais brasileiros para conhecerem a capital russa.

Vagner Love foi o segundo a chegar, um ano depois, e também deu certo. Artilheiro do Palmeiras na Série B, o carioca se deu bem em solo russo e se tornou ídolo da torcida. Na seqüência veio Dudu Cearense, em 2005. Com os três no elenco, vieram os títulos russo, da Copa da Rússia e a inédita Copa Uefa. Uma temporada que entrou na história do CSKA.

As apostas do presidente Evgeny Giner, fã confesso do futebol brasileiro, e do técnico Valery Gazzaev, que soube trabalhar com os atletas tupiniquins, continuaram. Jô foi trazido do Corinthians, assim como o meia Ramón e o lateral-direito Eduardo Ratinho, que, no entanto, passou menos de meio ano por lá. Nesta temporada foi a vez do centroavante Ricardo Jesus, que começou no Internacional, mas estava no Spartak Nalchik.

Porém, nos últimos anos o dinheiro do clube secou. A parceria que mantinha com a petrolífera Sibneft acabou e o novo contrato de patrocínio com o Vneshtorbank não é suficiente para se equiparar a, por exemplo, os acordos que Zenit St. Petersburg e Spartak Moscou mantém com seus parceiros comerciais.

A fraca campanha da atual temporada foi decisiva em uma nova postura do CSKA. Gazzaev pediu para sair. Afirmou que precisa de novos ares, assim como o clube de novos métodos no comando. Ao final do ano deixa o CSKA após cinco vitoriosos e históricos anos.

Os brasileiros, aos poucos, também vão embora. Jô foi negociado com o Manchester City por € 23 milhões, Dudu Cearense rendeu € 6 milhões com sua transferência para o Olympiakos e Daniel Carvalho, fora de forma e sem espaço no time, foi emprestado ao Internacional por seis meses, depois de ter renovado seu contrato até 2010.

Engana-se, porém, quem pense que essa renovação é uma forma de manter o jogador no CSKA por muito tempo. A diretoria acredita que o período no Brasil fará com que ele recupere seu futebol, volte a valer alguns trocados e possa ser negociado na janela de transferências do verão europeu.

Vagner Love, sempre envolto em transações, hora por vontade própria, hora por desejo do CSKA, não deve permanecer na Rússia realmente. O Flamengo está em negociações com os russos, sim, mas tem uma montanha de dinheiro para escalar até chegar em um acordo. Enquanto isso, o Tottenham também teria entrado na disputa.

O meia Ramón, que mal joga, é outro que não deve permanecer no CSKA. A diretoria quer negociá-lo, mas ainda não apareceram propostas. Somente Ricardo Jesus vive situação diferente, já que chegou credenciado por uma boa temporada no Spartak Nalchik.

Na prática, o CSKA Moscou já começou a reformulação para a próxima temporada. Dificilmente lutará pelo título da Premier Liga neste ano, já que está bem atrás dos líderes, e com a saída de Gazzaev, a diretoria passou a se mexer. O sonho de consumo para o cargo de treinador é o italiano Roberto Mancini. Até lá, o caixa precisa aumentar. É aí que entram os brasileiros.

Copa da Rússia

Nesta semana foram disputadas as partidas dos 16as-de-final da Copa da Rússia. Com a disputa acirrada da Premier Liga, a maioria das grandes equipes optou por utilizar reservas. Com isso, quase todos se deram bem, mas com algumas exceções. Vale lembrar que o torneio é disputado em jogos únicos, sem a volta.

O Zenit, por exemplo, poupou suas estrelas e foi surpreendido pelo Sibir, em Novosibirsk, por 1 a 0. Apesar de não contar com Tymoschuk, Arshavin, entre outros, o time titular tinha o goleiro Malafeev e os atacantes Tekke e Domínguez. O técnico Dick Advocaat, após a partida, ironizou: “Com todo respeito à Copa da Rússia, mas a Liga dos Campeões é bem mais importante”, disse o holandês, lembrando que o Zenit inicia sua campanha européia em pouco mais de 30 dias.

Confira abaixo todos os resultados.

Sibir 1x0 Zenit

Baltika 3x0 Luch-Energiya

Torpedo Vladimir 1x4 CSKA Moscou

Dynamo Bryansk 1x2 Spartak Moscou

Metallurg Lipetsk 0x2 Lokomotiv Moscou

Anzhi Makhachkala 2x3 Terek Grozny

Gazovik Orenburg 2x2 Krylya Sovetov (3x5 nos pênaltis)

Kamaz Naberezhnye Chelny 1x5 Tom Tomsk

Volga Nizhny Novgorod 1x1 Saturn (4x3 nos pênaltis)

CKA-Energiya Khabarovsk 1x1 Amkar (1x4 nos pênaltis)

Alaniya Vladikavkaz 1x3 Moscou

Kuban Krasnodar 0x1 Dynamo Moscou

CKA Rostov-na-Donu 3x2 Khimki

Salyut-Energiya Belgorod 0x1 Shinnik

Vityaz Podolsk 2x1 Spartak Nalchik

Komsomolsk-na-Amure 1x1 Rubin Kazan (3x5 nos pênaltis)

Liga dos Campeões

Definidas as partidas da terceira fase preliminar da competição, equipes da ex-União Soviética farão confrontos interessantes. Destaque para Dynamo Kiev x Spartak Moscou, além do surpreendente BATE Borisov, que despachou o Anderlecht-BEL e agora duela com o Levski Sofia. Pelo caminho ficaram Dinamo Tbilisi (Geórgia), Sheriff Tiraspol (Moldávia) e Inter Baku (Azerbaijão).

Confira os jogos envolvendo os time da região, que acontecem nos dias 12 e 13 (ida) e 27 de agosto (volta).

Aalborg (Dinamarca) x Kaunas (Lituânia)

Levski Sofia (Bulgária) x BATE Borisov (Belarus)

Spartak Moscou (Rússia) x Dynamo Kiev (Ucrânia)

Shakhtar Donetsk (Ucrânia) x Dinamo Zagreb (Croácia)

Copa Uefa

Ainda na segunda fase preliminar, a Copa Uefa também reúne algumas equipes soviéticas. Abaixo os jogos, que serão disputados nos dias 14 e 28 de agosto.

Liepajas Metalurgs (Letônia) x Vaslui (Romênia)

WIT Georgia (Geórgia) x Austria Viena (Áustria)

Legia Varsóvia (Polônia) x FC Moscou (Rússia)

Dnipro Dnipropetrovsk (Ucrânia) x Bellinzona (Suíça)

Suduva (Lituânia) x Red Bull Salzburg (Áustria)

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo