iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

08/08 - 18:21

Após demissão, Pintado culpa maratona de jogos e elenco reduzido
Em seis jogos, treinador obteve um empate e cinco derrotas à frente do Náutico, que acabou na zona da degola

Gazeta Esportiva

RECIFE - Seis jogos, nos quais obteve um empate e cinco derrotas, com o aproveitamento de 5,5% dos pontos disputados. Foi assim que, após exatos 20 dias, o técnico Pintado recebeu a notícia de sua demissão do Náutico.

Ao analisar sua participação no clube nordestino, o treinador classificou a falta de jogadores e a maratona de jogos como responsáveis pelo fracasso.

“O que podemos dizer é que, em 20 dias em que estivemos aqui, fizemos seis partidas, com um média de três jogos por semana. Então, o tempo foi muito curto e a dificuldade era conta da perda de alguns jogadores. Isso prejudicou bastante o planejamento que nós tínhamos”, disse Pintado, por telefone à GE.Net.

Nas últimas rodadas, a chegada de reforços para o Timbu se tornou a principal exigência do treinador que, após a derrota por 2 a 1 para o Figueirense, chegou a disparar contra seus comandados, cobrando responsabilidade. Enquanto esteve empregado no clube, não viu a chegada de novos atletas e, apesar disso, negou a existência de problemas com a diretoria.

“Não houve atrito nesse sentido, mas a exigência era lógica e ficou muito claro a necessidade de reforços mais qualificados para buscar uma reação, dentro de um campeonato difícil como o Brasileirão. Os reforços tinham que chegar o mais rápido possível”, explicou o comandante.

O Náutico não viu mais reforços na competição e muito menos vitórias. Assim, Pintado, que assumiu a equipe com o objetivo de manter o time próximo da zona de classificação para a Copa Libertadores, acabou demitido, deixando o Timbu na zona de rebaixamento, com a 17ª posição.

Sua saída acabou por promover a volta de Roberto Fernandes ao Timbu, depois de deixar o comando do Atlético-PR. Pintado, no entanto, não vê um futuro fácil para o companheiro de profissão.

“Não deu tempo para mim, mas espero que o Roberto Fernandes consiga reverter a situação, já que agora a casa está mais enxuta e com pouco dinheiro para poder fazer contratações.”


Leia mais sobre: Pintado Náutico

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo