iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

07/08 - 01:26

Sem substituto à vista, Márcio Fernandes assume o Santos
A direção do Santos preferiu não projetar o futuro logo após a derrota por 3 a 2 para o Atlético-MG, de virada

Gazeta Esportiva

SANTOS - Márcio Fernandes é novamente técnico interino do Santos. Assim como fizeram após demitir Emerson Leão, dirigentes do clube da Vila Belmiro dizem que ainda não cogitaram nenhum substituto definitivo para Cuca.

“Nosso treinador é o Márcio Fernandes, que é de confiança. A programação está mantida normalmente. Fora isso, não especulamos nada”, garantiu o diretor de futebol Luiz Antônio Ruas Capella.

A direção do Santos preferiu não projetar o futuro logo após a derrota por 3 a 2 para o Atlético-MG, de virada. Além da demissão de Cuca, o resultado desta quarta-feira desencadeou uma série de protestos, com arremesso de pedras, detonação de bombas e tiros, nos arredores da Vila Belmiro.

“Nesse momento, depois de uma derrota como essa, que nos deixou surpresos, não vemos nenhum nome para assumir o Santos. A não ser o Márcio Fernandes”, reforçou Capella.

Desempregados, Gallo e Geninho aparecem como favoritos para assumir a equipe. O primeiro conta com a simpatia de Wanderley Luxemburgo, com quem o presidente Marcelo Teixeira ainda se aconselha, e o outro tem muita identificação com a cidade. Ambos já trabalharam na Vila Belmiro.

Quando Cuca se demitiu pela primeira vez e voltou atrás após conversar com Marcelo Teixeira, no entanto, jogadores do Santos fizeram lobby pela contratação de Serginho Chulapa. O ex-jogador era auxiliar-técnico de Wanderley Luxemburgo e deixou o clube à época da chegada do desafeto Emerson Leão.

Capella não quer opiniões do elenco. “Não há essa conversa com jogadores. De forma alguma. Será uma decisão tomada pela diretoria”, disse o diretor de futebol, que se reunirá com o presidente Marcelo Teixeira nesta semana para deliberar sobre o novo técnico do Santos. Também não descartam promover dispensas. “Chegou a hora de repensar tudo o que aconteceu. Precisamos analisar o que erramos para poder aparar as arestas.”

A diretoria aponta justamente a reformulação no decorrer do Campeonato Brasileiro como ponto prejudicial ao trabalho de Cuca. Capella isentou de culpa pela campanha do Santos o treinador que escolheu para o lugar de Emerson Leão, de quem se tornou desafeto – assim como as principais torcidas organizadas do clube.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo