iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

05/08 - 08:18

Calma na pontaria: receita alvinegra para vencer no Pacaembu
Nos últimos dois jogos, além de não marcar gols, acumulou uma derrota (1 a 0 para o Bahia) e um empate (0 a 0 diante do Criciúma)

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Depois de iniciar a Série B de forma fulminante em seus domínios, com cinco vitórias consecutivas sobre CRB, Fortaleza, Brasiliense, São Caetano e Marília, o Corinthians vive um pequeno jejum dentro do Pacaembu. Nos últimos dois jogos, além de não marcar gols, acumulou uma derrota (1 a 0 para o Bahia) e um empate (0 a 0 diante do Criciúma).

Para o técnico Mano Menezes, a explicação para o “fenômeno” é simples: falta de tranqüilidade na hora das conclusões. “Temos que ter um pouco mais de calma na hora da conclusão da jogada. Aliar inteligência, calma. No último jogo, apressamos um pouco a construção da jogada, correndo um pouco demais com a bola, forçando o passe no jogador errado”, analisou, sendo sincero ao lembrar do desempenho da equipe nos dois últimos compromissos.

“Nós não fizemos dois bons jogos e por isso não vencemos. Diante do Bahia, mesmo sem fazer um grande jogo, até criamos oportunidades para vencer. Diante do Criciúma, foi mais equilibrado. Fomos bem marcados. Tivemos chances, mas o Criciúma também teve. Temos que reconhecer que o Criciúma fez um bom jogo”, elogiou Mano.

Questionado sobre o que espera do Juventude, adversário da noite desta terça-feira, Mano Menezes discursou com conhecimento de causa, já que traz no currículo incontáveis duelos contra o alviverde, tanto pelo Caxias quanto pelo XV de Novembro de Campo Bom e pelo Grêmio.

“O Juventude vem liderando a competição juntamente com a gente, sempre no grupo dos quatro. Deu uma saída na rodada, mas é um adversário que sempre faz jogos parelhos com o Corinthians. Nós precisamos jogar um pouco melhor. Não está faltando atitude, e sim um pouco de futebol. Precisamos jogar mais”.

O meio-campista Eduardo Ramos, novidade do Alvinegro para o duelo desta terça, endossou as palavras do comandante. “Estamos devendo e temos que esquecer os dois últimos jogos”, pediu. “Temos que procurar ter um pouquinho mais de calma para finalizar. Voltar no ritmo de antes. Cabe a nós fazer um grande jogo e sair com a vitória”, pediu.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias