iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

02/08 - 20:13

Em jogo menos criativo, Mano aceita vaias da torcida
“Uma coisa é a campanha do time. Outra, o empate. É normal existir uma decepção dos torcedores após o jogo", disse

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - O técnico Mano Menezes aceitou a insatisfação dos corintianos que acompanharam o empate sem gols com o Criciúma, neste sábado, no Pacaembu. Pouco inspirada, sua equipe desceu para os vestiários do estádio sob vaias.

“Uma coisa é a campanha do time. Outra, o empate. É normal existir uma decepção dos torcedores após o jogo. Esse é o momento mais adequado para externá-la. Durante a partida, eles foram compreensivos e apoiaram o tempo todo, mesmo com os nossos erros em campo”, ponderou Mano Menezes.

Sempre que se pronuncia sobre a torcida do Corinthians, o técnico é elogioso. Até quando cerca de uma dezena de uniformizados protestaram durante treinamento, há mais de um mês, ele diferenciou o pequeno grupo dos demais torcedores. “Mas acho que ainda é muito cedo para pressionar no momento atual. A equipe continua bem na tabela da Série B”, contrariou o goleiro Felipe.

Afastado à época dos protestos, Felipe é um dos menos culpados pelo descontentamento deste sábado. “Foi o jogo em que tivemos mais dificuldades para criar jogadas de gol. Precisamos trabalhar para voltar à normalidade”, reclamou Mano Menezes.

Revelado pelo Criciúma, cabia principalmente ao meia Douglas articular o ataque do Corinthians na partida. “Ele não estava bem. Sofremos com problemas individuais, técnicos, e táticos. Isso acontece no futebol. Quando o Lulinha saiu, perdemos o lado esquerdo do campo. Embolamos muito o jogo. Esse é um defeito que não podemos cometer contra uma muralha bem postada”, definiu o treinador.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo