iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

01/08 - 08:19

Sparwasser: talento germânico oriental
Meia marcou gol da vitória do lado socialista sobre a Alemanha Ocidental em 74

Trivela.com

BERLIM (Alemanha) - Em um único jogo, um gol marcante. Copa de 1974, na Alemanha Ocidental. De um lado, os donos da casa, a Alemanha do ocidente, democrata, capitalista, com várias estrelas, Beckenbauer, Sepp Maier, Breitner, Overath, Gerd Müller, etc. Do outro, a Alemanha do oriente, socialista, sem grandes jogadores. Um país dividido. A partida estava zero a zero. Faltando doze minutos para acabar, o meia Jürgen Sparwasser recebe a bola e bate no canto de Sepp Maier. Um a zero para o time do oriente. No final de jogo, o nome da partida, Sparwasser comemorava o gol. “Não tenho culpa de ter nascido na Alemanha Oriental”, dizia após marcar o gol histórico.

Meio-campo com vocação ofensiva e um faro de goleador, Sparwasser começou no time amador de sua cidade, o Lokomotive Halberstadt, mas foi no Magdeburg que construiu toda sua carreira. De 1966 até 79, único time em que atuou. Foi lá que conquistou seu maior título, a Taça das Taças de 74. Extinta competição européia, para nós brasileiros, conhecida como Recopa Européia. Sua equipe venceu o poderoso Milan na final. Este jogo e aquele, contra a Alemanha Ocidental, foram os mais importantes segundo ele.

O Magdeburg era uma das principais equipes do leste com isso a ida para a seleção foi rápida. Em 1969 fez sua estréia diante do Chile num amistoso. Foram 48 jogos e 14 gols. Outra conquista importante dele, foi à medalha de bronze, nos jogos olímpicos de 72. A Alemanha Oriental venceu a União Soviética. O Ouro ficou com a Polônia e a prata com a Hungria. Ele marcou cinco gols em sete jogos.

A vitória contra os vizinhos do ocidente, na Copa de 74, ficou marcado por vários motivos:

Primeiro. Simbolicamente, para o regime socialista da Alemanha Oriental, significava o triunfo do socialismo sobre o capitalismo. Por esse motivo, Sparwasser era considerado o herói do socialismo.

Segundo. O jogo foi único, em toda a história, entre as duas equipes.

Terceiro e último é que caso o time de Beckenbauer vencesse, cairia no grupo de Brasil, Argentina e Holanda. Com a derrota ficaram a Suécia, Polônia e Iugoslávia, todos antigos fregueses. Afinal, houve ou não, um acordo para que os anfitriões escapassem do grupo mais difícil na segunda da Copa.

Depois da partida histórica, o herói do socialismo, foi convidado a ser o garoto-propaganda do governo, mas preferiu recusar o convite.

Fora das quatro linhas, ele ainda trabalhou no final da década de 80 como treinador assistente do Eintracht Frankfurt. Agora, Sparwasser, só pensa em ajudar o futebol do leste alemão, já que após a unificação, as equipes não conseguem se manter. Não conseguem patrocinadores e por isso estão se endividando. Em entrevista a uma agencia de noticias, ele contou que está trabalhando na criação de uma nova escola de futebol próximo à cidade de Potsdam. “É difícil encontrar patrocínios e embora ainda haja boas instalações de formação de jogadores, a situação não é fácil”, comentou o ex-jogador.

Dados estatísticos e curiosidades

A serviço do Magdeburg, Sparwasser jogou 271 jogos e marcou 111 gols, destaque para a temporada 1966/67, quando marcou 22 gols em 27 jogos.

Foram 48 partidas pela seleção alemã e 14 gols:

30- amistosos (incluindo jogos olímpicos)—7gols

8- eliminatórias da Copa—5gols

6- Copa do Mundo—1gol

4- Eliminatórias para a Eurocopa—1gol

Das 48 partidas foram:

31- vitórias

10- empates

7- derrotas

No jogo histórico entre as duas Alemanhas, esteve presente um brasileiro. Armando Marques era o assistente do uruguaio Ramón Barreto.

A primeira ministra alemã e o atual capitão da seleção alemã, Michael Ballack, são do leste alemão.

 

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo