iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

31/07 - 01:01

Alguém tinha de levar a culpa
Campanha apenas razoável do Spartak Moscou resulta no afastamento definitivo dos meias Titov e Kalinichenko

Trivela.com

MOSCOU (Rússia) - A campanha do Spartak Moscou está longe de ser um desastre. Após 15 rodadas, exatamente metade da Premier Liga, o time aparece na quinta colocação, com 24 pontos, cinco atrás do líder Rubin Kazan. Foram seis vitórias, seis empates e três derrotas, tendo marcado 27 gols e sofrido outros 23.

Naturalmente, a diretoria do clube quer o título russo, que não vem para o estádio Luzhniki desde 2001. O clube não se reforçou tanto para a temporada, mas sempre espera-se um pouco mais do Spartak. Neste ano, no entanto, equipes menores têm surpreendido e se mantido no topo da tabela.

Ou seja, o Spartak estava abaixo das expectativas, mas o técnico Stanislav Cherchesov e seus jogadores acreditavam em uma reação. Tudo mudou no dia 12 de julho. No clássico diante do CSKA, que vem muito mal no ano, a goleada de 5 a 1 sofrida contra os rivais provocou um hecatombe nos bastidores do clube. Culpados precisavam ser achados.

Em crédito com a diretoria, Cherchesov não pensou duas vezes e afastou o capitão Yegor Titov e os dois vice-capitães, o ucraniano Maxim Kalinichenko e o brasileiro Mozart. Alegou que faltou a eles compromisso com o Spartak e iniciativa para mudar o espírito do time no fatídico jogo.

Passadas pouco mais de duas semanas do episódio, a diretoria anunciou a decisão final: Mozart foi reintegrado ao grupo e inclusive marcou um gol no último final de semana, na vitória por 3 a 0 sobre o Luch-Energiya, mas Titov e Kalinichenko não. Eles foram liberados para procurar outra equipe.

Cherchesov afirmou que eles não fazem mais parte de seus planos. “Foi uma conversa nos bastidores que tivemos e eu não gostaria de torná-la pública. Informei os jogadores sobre minha decisão. Não vejo lugar para Titov e Kalinichenko entre os titulares e não tenho o direito de mantê-los no banco. Ambos atletas querem jogar e agora vão procurar novos clubes”, declarou o treinador na segunda-feira.

Titov, de 32 anos, foi formado nas categorias de base do Spartak Moscou e, desde que se profissionalizou, em 1992, nunca defendeu outra equipe. Kalinichenko, 29 anos, está no clube desde 2000, quando foi contratado ao Dnipro Dnipropetrovsk. O meia foi um dos destaques da seleção ucraniana na Copa do Mundo de 2006.

Os torcedores do Spartak ainda não engoliram bem a decisão de Cherchesov. Apesar do apoio da diretoria, certamente as próximas rodadas serão decisivas para saber o futuro do treinador e, até mesmo, dos próprios Titov e Kalinichenko.

Árbitro bebum?

No domingo, Shinnik e Terek ficaram no 1 a 1 em Yaroslavl. O resultado não trouxe nada de novo, já que as duas equipes brigam para fugir das posições menores da tabela da Premier Liga. Porém, um escândalo transformou o jogo no centro das atenções do futebol russo.

A diretoria do Shinnik acusou o árbitro Igor Zakharov de ter atuado bêbado. Logo após o término da partida, os dirigentes foram até o vestiário e pediram que Zakharov fizesse um teste de sangue para confirmar sua embriaguez. O árbitro, no entanto, se recusou, alegando que faltavam documentos que davam aparatos legais aos médicos e pelo fato destes não aceitarem mandar um eventual contra-prova para exames em Moscou.

O delegado do jogo, Yuri Chebotarev, falou ao jornal Sport-Express após o incidente. “O governador de Yaroslavl e o diretor geral do Shinnik foram aos vestiários depois do jogo, e os jogadores Buznikin e Boyarintsev disseram que sentiram cheiro de álcool no árbitro. Eu estava com Zakharov antes da partida por um bom tempo e não tenho dúvidas que não há qualquer problema”, disse Chebotarev

A verdade é que o caso ganhou proporções maiores do que o previsto. Tanto que, nesta quarta-feira, em reunião administrativa da RFPL (Russian Football Premier Liga), o assunto ganhou destaque.

O diretor geral do Shinnik, Aleksandr Rozhnov, sugeriu ao presidente da RFPL, Sergey Pryadkin, que se façam testes anti-doping em todos os árbitros da liga. “Preferimos manter isso apenas no campo esportivo, onde somente os atletas precisam passar por esses testes”, disse Pryadkin.

Ao final do encontro, a RFPL aproveitou para anunciar mudanças que serão feitas no calendário da Premier Liga. Por causa de interesses comerciais e atendendo a pedidos de diversos clubes, a partir de 2012, provavelmente, a temporada no país não seguirá mais o calendário solar, e sim o lunar, como no restante da Europa.

Além disso, a primeira divisão aumentaria para 18 clubes, enquanto a segunda cairia dos atuais 22 para 20. Mas nada ainda é oficial.

Copas européias

Liga dos Campeões (jogos de ida da 2ª rodada preliminar – volta: 06/ago)

Sheriff Tiraspol (Moldávia) 0x1 Sparta Praga (Rep. Tcheca)

Anderlecht (Bélgica) 1x2 BATE Borisov (Belarus)

Panathinaikos (Grécia) 3x0 Dinamo Tbilisi (Geórgia)

Rangers (Escócia) 0x0 Kaunas (Lituânia)

Inter Baku (Azerbaijão) 1x1 Partizan (Sérvia)

Brann (Noruega) 1x0 Ventspils (Letônia)

Drogheda United (Irlanda) 1x2 Dynamo Kiev (Ucrânia)

Copa Intertoto (resultados da 3° e última fase – entre parênteses o jogo de ida)

Tavriya Simferopol (Ucrânia) 1x0 Rennes (França) (0x1; Rennes 10x9 nos pênaltis)

FC Vaslui (Romênia) 2x0 Neftchi (Azerbaijão) (1x2)

FK Riga (Letônia) 0x0 Elfsborg (Suécia) (0x1)

Stuttgart (Alemanha) 3x0 Saturn (Rússia) (0x1)

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo