iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

30/07 - 14:58

Em recuperação na Academia, Euller relembra glórias no Palmeiras
Atuando pelo América-MG, o veterano atacante fará trabalhos físicos e fisioterápicos por tempo indeterminado na Academia

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Oito anos depois de conquistar seu último título com a camisa do Palmeiras, vencendo o Torneio Rio-São Paulo de 2000, o atacante Euller retornou ao clube nesta semana, para fazer tratamento médico. Atuando pelo América-MG, o veterano atacante fará trabalhos físicos e fisioterápicos por tempo indeterminado na Academia para se recuperar de lesão no cruzado do joelho direito.

Conhecido como ‘Filho do Vento’, Euller retorna ao clube justamente na semana em que o alviverde enfrenta o Flamengo, um dos confrontos que marcaram sua história no Palmeiras. Em 1999, pela Copa do Brasil, o jogador ajudou à equipe a virar o jogo contra o rubro-negro, marcando dois gols nos cinco minutos finais.

“Nunca vivi algo parecido como aquilo. Lembro que o estádio estava lotado e, mesmo quando perdíamos por 2x1, sentíamos uma vibração muito forte. A torcida incentivando e o grupo acreditando. Foram dois gols mágicos, que jamais sairão da minha memória”, relembra Euller.

Ainda em 1999, quando estava em sua segunda passagem pelo Palestra Itália, o jogador participou da maior conquista da história do clube, com o título da Copa Libertadores. Euller, inclusive, converteu sua cobrança na decisão por pênaltis contra o Deportivo Cali, na grande final.

“Foi um momento marcante na minha vida, mas mais especial ainda para a do Palmeiras. Era um título que o clube perseguia há muito tempo e foi bom demais satisfazer milhões de torcedores. Aquele grupo foi merecedor daquele título”, disse o atacante, que jogou ao lado de nomes como Alex, Paulo Nunes e Oséias na ocasião.

Depois de deixar o Palmeiras, Euller teve passagens pelo futebol japonês, além de Vasco e São Caetano, com o qual conquistou o Paulistão de 2004, até chegar ao América-MG, em 2006. Neste ano, protagonizou uma lance incomum no futebol, pelo Módulo 2 do Campeonato Mineiro, quando converteu um pênalti em parceria com Douglas: o Filho do Vento rolou a bola e o companheiro invadiu a área para completar para o gol com o goleiro já caído.

Apesar dos 37 anos, o jogador afirmou ainda ter muito fôlego para permanecer no esporte. “Tenho 37 anos, mas me sinto como um garoto. Sempre me cuidei bastante e sinto prazer em jogar futebol”, completou o atacante, que, com a camisa do Palmeiras, disputou 115 partidas, marcando 40 gols.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo