iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

29/07 - 08:39

Preview da Super Liga Suíça
Confira quem são os favoritos para ficar com o título nacional nesta temporada

Trivela.com

A temporada 2008/09 da Swiss Super League começou na última semana e, passadas três rodadas, a pergunta mais repetida do futebol suíço continua válida e forte como nunca: quem consegue parar o FC Basel? Nove equipes juntam-se ao campeão de quatro das últimas sete temporadas para tentar exatamente desbancá-lo – ou ao menos passar perto disso. Seguindo a tradição de neutralidade do país, o campeonato da terra dos Alpes é talvez um dos que possa despertar menos surpresas em toda a Europa, tamanha a diferença entre o favorito e os demais.

Mas isso não significa que não haverá emoção. Nas últimas três temporadas, o título foi decidido na rodada final. E o principal: graças à Euro, o interesse pelo futebol cresceu muito na Suíça. A média de público nos estádios quase duplicou, ultrapassando pela primeira vez na história a marca de 10 mil pessoas em 2007/08. Apesar da campanha abaixo do esperado, os torcedores se disseram satisfeitos com o papel desempenhado pela seleção anfitriã e mostraram entusiasmo com os novos estádios, constatou uma recente pesquisa encomendada pela federação nacional.

Os estádios suíços terão o que há de melhor em tecnologia para a atual temporada. As dez arenas foram equipadas com sistema de câmeras de vigilância internas e externas e até mesmo um gramado artificial será utilizado, no campo do Neuchâtel Xamax.

O único senão é o dinheiro investido pelas equipes: o valor estimado dos dez elencos é de 140 milhões de euros, apenas o 18º da Europa. A expectativa é que o cenário se altere nos próximos anos, com o fim da proibição do funcionamento de empresas de apostas esportivas. As ofertas de patrocínio chegam às dezenas de milhões de euros.

Enquanto esse dia não chega, continua a briga sem muitas armas daqueles que tentam desbancar o favorito FC Basel. Serão 36 rodadas, todos contra todos em quatro turnos – dois na ida, dois na volta. O campeão entra no primeiro qualifying da Liga dos Campeões, enquanto o vice e o terceiro colocados vão para o qualifying da Copa da Uefa, na terceira e na segunda fases, respectivamente.

Confira agora a apresentação das dez equipes da temporada 2008/09 da Swiss Super League (na ordem de classificação do ano passado):

FC Basel 1893

Estádio: St-Jakob Park (38.500 pessoas)

Principal jogador: Marco Streller (atacante)

Fique de olho: Eren Derdiyok (atacante)

Competição continental que disputa: Liga dos Campeões

Quem chega: David Abraham (D, Independiente – ARG), Patrik Baumann (D, Concordia), Behrang Safari (D/M, Malmö - SUE), Marcos Gelabert (D/M, St. Gallen – SUI), Jürgen Gjasula (M, St. Gallen), Simone Grippo (M, Concordia - SUI), Daniel Unal (M, AC Bellinzona), Marko Perovic (M/A, Estrela Vermelha – SER), Eduardo Rubio (A, Cruz Azul - MEX)

Quem sai: Daniel Majstorovic (D, AEK Atenas – GRE), Koji Nakata (D, Kashima Antlers – JAP), Papa Malick (D/M, sem clube), Samet Gündüz (M, FC Wil – SUI), Franz Burgmeier (M/A, sem clube), David Degen (M/A, Borussia M’Gladbach – ALE), Vratislav Lokvenc (A, Ingolstadt - ALE)

Técnico: Christian Gross

Objetivo na temporada: lutar pelo título

Como parar o clube com maior orçamento, melhor estrutura e melhor elenco do país? Encontrar a resposta parece ainda mais difícil do que na temporada passada, quando o Basel venceu o Young Boys na última rodada, num confronto direto pelo título que fez o troféu voltar para a Basiléia. O principal nome da equipe continua sendo o grandalhão Marco Streller, referência do ataque.

A maior novidade fica por conta do zagueiro David Abraham, contratado para o lugar do sueco Majstorovic, considerado o pilar da defesa menos vazada do campeonato anterior. O argentino, campeão mundial sub-20 em 2005, foi a transferência mais cara da temporada: estima-se que o Independiente recebeu 3 milhões de euros pelo negócio. Quem também chega é o meia sérvio Marko Perovic, do Estrelha Vermelha. Sem contar na revelação Eren Derdiyok. Um time que tem tudo para brilhar.

BSC Young Boys

Estádio: Stade de Suisse Wankdorf (32.000 pessoas)

Principal jogador: Gilles Yapi-Yapo (meia)

Fique de olho: Xavier Hochstrasser (meia)

Competição continental que disputa: Copa da Uefa

Quem chega: Marc Schneide (D/M, St. Gallen), Felix Bastians (M, Nottingham Forest – ING), Sven Lüscher (M/A, SC Kriens - SUI), Eudis (A, FC Zürich), Seydou Doumbia (A, Kashiwa Reysol - JAP), Lucien Dénervaud (A, FC Bulle - SUI)

Quem sai: Matteo Gritti (G, AC Bellinzona), Tiago (D, Duisburg – ALE), Igor Nganga (D/M, FC Schaffhausen – SUI), Christian Schneuwly (M, FC Biel-Bienne), Erhan Kavak (M/A, FC Biel-Bienne), Hakan Yakin (M/A, Al-Gharafa – CAT), Marquinhos (A, Racing Strasbourg – FRA), Shi Jun (A, Chengdu – CHN), Franck Madou (A, FC Biel-Bienne - SUI)

Técnico: Martin Andermatt

Objetivo na temporada: lutar pelo título

O discurso é brigar novamente pelo título, mas aparentemente nem mesmo o técnico Martin Andermatt acredita muito nesta possibilidade. A ausência de Hakan Yakin, seduzido pelos petrodólares do Catar, dificilmente será compensada pelo brasileiro Eudis, contratado junto ao Zurique. Afinal, dos 82 gols marcados pelo melhor ataque da temporada passada, 24 foram de Yakin.

Thomas Häberli, vice-artilheiro com 18, permanece na equipe. Mas o principal ponto de interrogação é o marfinense Gilles Yapi-Yapo: o motor do meio-campo aurinegro tem sofrido com contusões e, sem ele, o time pouco produz. O começo ruim, com um empate e duas derrotas, também pode pesar sobre a cabeça de Andermatt, que não possui muito prestígio com Stefan Miedermaier, manda-chuva do clube.

FC Zürich

Estádio: Letzigrund (30.000 pessoas)

Principal jogador: Jhonny Leoni (goleiro)

Fique de olho: Admir Mehmedi (atacante)

Competição continental que disputa: lutar pelo título

Quem chega: Emra Tahirovic (A, Lille – FRA)

Quem sai: David da Costa (G, Concordia), Sebastian Kollar (D/M, St. Gallen), Shkelzen Gashi (M/A, AC Bellinzona), Eudis (A, Young Boys)

Técnico: Bernard Challandes

Objetivo na temporada: lutar pelo título

O Zürich tem talvez a meta mais ambiciosa da temporada: bater de frente com o Basel impulsionado apenas pelos frutos de sua vitoriosa categoria de base. Cinco garotos foram alçados ao time principal, quatro deles abaixo dos dezoito anos e campeões da tradicional Fifa Blue Stars no ano passado. A principal promessa é Adrian Nikci, talentoso meia de 18 anos que deve ser titular.

O time não perdeu jogadores importantes e o técnico Bernard Challandes tem respaldo da diretoria para seguir o trabalho apostando nos garotos, independente dos resultados. E as metas são ambiciosas: os azuis querem ainda conquistar a Copa da Suíça e chegar à fase de grupo da Copa da Uefa. O futebol ofensivo da temporada passada deve ser repetido, e a única dúvida é se uma equipe com tão pouca experiência conseguirá fazer jus às expectativas.

Grasshopper CZ

Estádio: Letzigrund (30.000 pessoas)

Principal jogador: Ricardo Cabanas (meia)

Fique de olho: Raul Bobadilla (atacante)

Competição continental que disputa: Copa Intertoto

Quem chega: Massimo Colomba (G, FC Aarau), Eldin Jakupovic (G, Lokomotiv – RUS), Senad Lucic (M, AC Bellinzona), Davide Callà (M, St. Gallen), Leonel Romero (M/A, FC Wohlen – SUI), Samel Sabanovic (A, FC Wil – SUI), Gonzalo Zàrate (A, SC Kriens)

Quem sai: Dragan Djukic (G, FC Wohlen), Weligton (D, Málaga – ESP), Michel Renggli (M, FC Luzern), Frank Feltscher (M/A, Lecce – ITA), Raúl Cabanas (M/A, FC Wohlen), David Blumer (A, FC Thun)

Técnico: Hanspeter Latour

Objetivo na temporada: vaga na Copa da Uefa

Maior campeão suíço, o Grasshopper é um gigante adormecido: apesar de não brigar pelo título desde 2003, é sempre muito respeitado. Por outro lado, todos os adversários, até mesmo o Basel, saboreiam com mais gosto uma vitória sobre o GCZ. Este parece ter sido exatamente o problema do clube nos últimos anos: a falta de motivação e de foco.

Pouca coisa é nova em Zurique, e até mesmo o técnico, Hanspeter Latour, é tão respeitado quando questionado. O time não tem um goleiro de confiança e as compras se resumiram ao mercado interno. A sensação, afinal, é a de que o time mais perdeu do que ganhou com as transferências. Resta ao menos o consolo de que Ricardo Cabanas e Radul Bobadilla possuem um dos melhores entrosamentos da liga – o argentino fez 18 gols em 2007/08.

FC Aarau

Estádio: Pappelstadion (15.100 pessoas)

Principal jogador: Cristian Ianu (atacante)

Fique de olho: Sandro Burki (meia)

Competição continental que disputa: Nenhuma

Quem chega: Frédéric Schaub (D, FC Wohlen), Giuseppe Aguaro (D, Vaduz), Ivan Pejcic (A, Rabotnicki – MAC), Patrick Bengondo (A, FC Winterthur - SUI)

Quem sai: Massimo Colomba (G, Grasshoppers), Gabor Nagy (D, sem clube), Sven Christ (D, aposentadoria), Carlos Alberto (D/M, sem clube), Djamel Mesbah (M, FC Luzern), Gürkan Sermeter (M, AC Bellinzona), Tobias Muller (M, FC Wohlen), Aymen Bouchhioua (A, sem clube), Vahe Tadevosyan (A, sem clube)

Técnico: Ryszard Komornicki

Objetivo na temporada: vaga na Copa da Uefa

Poucos apostariam, na temporada passada, que uma equipe que nos últimos dez anos vinha brigando para não cair conseguisse uma campanha tão positiva como o Aarau fez na temporada passada. O preço do sucesso, entretanto, foi a saída de vários jogadores importantes, como o zagueiro Sven Christ, o goleiro Massimo Colomba e os meias Mesbah e Sermeter.

Com um orçamento apertado, a solução será apostar na base: a entrosada equipe sub-20 deverá render no mínimo três jogadores para o time de cima. A principal arma continuará sendo uma das mais letais duplas de ataque da Super Liga: o romeno Cristian Ianu e o brasileiro Rogério fizeram juntos 22 gols no campeonato passado, e em três partidas da atual temporada já balançaram a rede cinco vezes, suficiente para manter a equipe com 100% de aproveitamento. Resta saber se a lua-de-mel da equipe vai durar mais um ano inteiro.

FC Luzern

Estádio: Stadion Allmend (13.000 pessoas)

Principal jogador: Davide Chiumiento (meia)

Fique de olho: Jacopo Ravasi (atacante)

Competição continental que disputa: Nenhuma

Quem chega: Elsad Zverotic (D, FC Wil), Dusan Veskovac (D, FC Wohlen), Nelson Ferreira (M, Thun), Michel Renggli (M, Grasshoppers), Paquito (M, Enosis Paralimni - CHP), Djamel Mesbah (M, FC Aarau), Enrico Schirinzi (M, FC Wohlen), Milan Gajic (M, Boavista – POR), Goran Karanovic (A, FC Wohlen), Jacopo Ravasi (A, FC Wil)

Quem sai: Pascal Bader (D/M, VfR Aalen - ALE), Michael Diethelm (D/M, FC Wohlen), Roland Bättig (M, sem clube), Sandro Foschini (M, FC Gossau - SUI), Moussa El Idrissi (M/A, sem clube), Ayoub Rachane (M/A, Yverdon Sports - SUI), Mauro Lustrinetti (A, AC Bellinzona), Ahmad Sharbini (A, NK Rijeka - CRO)

Técnico: Ciriaco Sforza

Objetivo na temporada: vaga na Copa da Uefa

O Luzern chega com um orçamento recorde de 6 milhões de euros, mas sem reforços de peso. Após alguns anos na Segundona, os leões querem se firmar novamente e tentam surpreender, garantindo uma vaga na Copa da Uefa. A principal atração é o técnico Ciriaco Sforza, ídolo nacional que disputou a Copa de 1994.

O time ganhou em velocidade com as chegadas de Mesbah e Ferreira, mas perdeu sua referência na grande área: Lustrinelli foi para o Bellinzona. Para o seu lugar, chega o italiano Jacopo Ravasi, que se destacou pelo FC Wil, da segunda divisão. Uma equipe equilibrada, sem muitos pontos fortes nem fracos, que tem tudo para ficar no meio da tabela.

FC Sion

Estádio: Stade de Tourbillon (20.200 pessoas)

Principal jogador: Olivier Monterrubio (meia)

Fique de olho: Arnaud Bühler (zagueiro)

Competição continental que disputa: Nenhuma

Quem chega: Serey Die (D/M, ES Sétif - AGL), Olivier Monterrubio (M, Lens – FRA)

Quem sai: Mirsad Mijadinoski (D, Ujpest – HUN), Emanuele Di Zenzo (M, AC Bellinzona), Zbigniew Zakrzewski (M/A, Arka Gdynia - POL), Kamil Grosicki (M/A, Legia Varsóvia - POL)

Técnico: Ulrich Stielike

Objetivo na temporada: vaga na Copa da Uefa

Como montar um time competitivo a partir de um elenco com 27 jogadores oriundos de 14 nacionalidades diferentes? Um desafio e tanto, que o técnico Ulrich Stielike, tricampeão alemão, tri espanhol e ainda vice mundial com a Alemanha em 82, aceitou. O Sion tem orçamento de gente grande, menor apenas que Basel e Young Boys, e quer surpreender.

Para isso, trouxe o francês Olivier Monterrubio, meia que estava no Lens, e o jovem volante marfinense Serey Die. O clube tem ainda um dos melhores centros de treinamento do país, referência na recuperação de jogadores. Os principais nomes da equipe são o atacante costarriquenho Álvaro Sabório, o meia sérvio Goran Obradovic e o zagueiro nigeriano Obinna Nwaneri. Se contratar alguns intérpretes, a chance de sucesso pode ser maior.

Neuchâtel Xamax

Estádio: Stade de Maladière (12.000 pessoas)

Principal jogador: Julio Rossi (atacante)

Fique de olho: Matar Coly (atacante)

Competição continental que disputa: Nenhuma

Quem chega: Luca Ferro (G, FC La Chaux-de-Fonds – SUI), William Edjenguele (D, Le Mans – FRA), Selver Hodzic (D, Yehuda - ISR), Hussein Soulimani (D/M, Al Ahly Djeddah - EAU), Stephane Garcia (M, Etoile Carouge - SUI), Mickaël Nicoise (M, Excelsior – BEL), Ibrahima Niasse (M, AS Nancy – FRA), Ifet Taljevic (M, AC Bellinzona), Rodrigo Tosi (M/A, FC Olten - SUI)

Quem sai: Pascal Zuberbühler (G, sem clube), Christophe Jaquet (D, FC Fribourg - SUI), Mounir El Haimour (D, FC Barnsley - ING), Nebojsa Joksimovic (D, sem clube), Everson (D/M, sem clube), Milos Malenovic (M/A, St. Gallen), Moreno Merenda (A, St. Gallen)

Técnico: Nestor Clausen

Objetivo na temporada: escapar do rebaixamento

Nenhuma equipe contratou tanto quanto o Xamax para esta temporada: foram nove aquisições, além de dois garotos promovidos do sub-20. Ainda assim, as expectativas não são as melhores: apesar de um estádio novo, com gramado artificial e excelente estrutura, a principal atração é o veterano zagueiro Hussein Soulimani, capitão da seleção saudita.

Com a saída em definitivo do goleiro Pascal Zuberbühler, o técnico argentino Neston Clausen não tem um camisa 1 titular e vai testar suas opções nas primeiras rodadas. As opções para o ataque também são poucas, e os reforços solicitados pelo treinador não foram contratados pela diretoria, que alega falta de dinheiro. Para piorar a situação, Clausen declarou publicamente que não pediu a contratação de Soulimani. Promessa de uma temporada turbulenta no clube da região francófona da Suíça.

FC Vaduz

Estádio: Rheinpark Stadion (6.127 pessoas)

Principal jogador: Gaspar (atacante)

Fique de olho: Sehar Fejzulahi (meia)

Competição continental que disputa: Copa da Uefa

Quem chega: Orkan Avci (G, FC Basel), Stefan Iten (D, FC Wohlen), Miguel Mea Vitali (D/M, Union Maracaibo – VEN), Marcio Senna (V, Grêmio Barueri), Diego Bellon (M, Aston Villa – ING), Rivaldo Souza (M/A, Bahia), Sehar Fejzulahi (M/A, FC Winterthur - SUI), Willian (A, União Mogi)

Quem sai: Jamie Harnwell (D, Perth Glory FC – AUS), Giuseppe Aguaro (D, FC Aarau), Florian Sturm (D, sem clube), Daniel Hasler (D, aposentadoria), Florian Sturm (D, Milton Keynes – ING), Alexandre (D/M, sem clube), Michele Maggetti (M, FC Lugano – SUI), Marius Zarn (M, Chur 97 - SUI), Raphael Rohrer (A, USV Eschen/Mauren - LIE)

Técnico: Heinz Hermann

Objetivo na temporada: escapar do rebaixamento

Imagine como seria se um clube do Suriname disputasse o campeonato brasileiro. É assim com o FC Vaduz, situado na cidade de mesmo nome, capital do minúsculo principado de Liechtenstein, encravado entre a Áustria e a Suíça. A única equipe profissional da região disputa o campeonato suíço desde a década de 30, mas só agora conseguiu chegar à primeira divisão.

A expectativa é não fazer feio, e o técnico Heinz Hermann admite que a equipe ainda não está pronta. Faltam reforços para a defesa e o meio-campo. Ao menos um goleador os Residenzler já têm: o brasileiro Gaspar, que na temporada passada marcou 21 gols. Outra atração é Marcio Senna, volante irmão de Marcos Senna, contratado junto ao Barueri. Será que ele irá marcar época na Suíça como fez seu irmão na Espanha?

AC Bellinzona

Estádio: Stadio Comunale Bellinzona (6.000 pessoas)

Principal jogador: Mauro Lustrinelli (atacante)

Fique de olho: Shkelzen Gashi (meia)

Competição continental que disputa: Copa da Uefa

Quem chega: Matteo Gritti (G, Young Boys), Henri Siqueira-Barras (D, Enosis Paralimni – CHP), Vincent Bernardet (D, FC Gueugnon – FRA), Genc Mehmeti (D/M, FC Schaffhausen), Emanuele Di Zenzo (M, FC Sion), Gürkan Sermeter (M, FC Aarau), Shkelzen Gashi (M/A, FC Zürich), Mauro Lustrinetti (A, FC Luzern), Jocelyn Roux (A, Stade Nyonnais - SUI)

Quem sai: Gabriele Bernasconi (G, FC Chiasso), Paolo Carbone (D, Como – ITA), Gediminas Paulauskas (D, sem clube), Senad Lucic (M, Grasshopper), Ludovico Moresi (M, FC Lugano), Ifet Taljevic (M, Neuchâtel Xamax), Marko Andjelkovic (M, sem clube), Daniel Unal (M, FC Basel), Andrea Locatelli (A, FC Chiasso), Christian Pouga (A, Sevilla B – ESP), Corrado Grabbi (A, sem clube), Andrea Russotto (A, Napoli – ITA)

Técnico: Marco Schällibaum

Objetivo na temporada: escapar do rebaixamento

Esta não é a primeira participação do AC Bellinzona na divisão principal suíça, mas o acesso foi muito mais comemorado do que em Vaduz. Primeiro, porque o clube havia batido na trave nas últimas temporadas. E depois, porque o Bellinzona é um clube italiano, formado por italianos, mas que joga na Suíça. A comemoração, portanto, deve ter sido muito mais animada na capital de Ticino, região ao sul do país que tem fortes ligações com a vizinha Itália.

Os granata possuim uma parceria de longa data com a Roma, e até a cor do uniforme é igual. Garotos dos times de base da equipe italiana costumam ser emprestados ao clube, que mostra a influência também no elenco: dez dos 27 jogadores são italianos. O Bellinzona foi quem mais se mexeu no mercado de verão, com 19 mudanças entre saídas e chegadas. O principal nome é o atacante Mauro Lustrinelli. Outras boas aquisições foram os meias Gürkan Sermeter e Shkelzen Gashi, promessa de 20 anos.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo