iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

29/07 - 08:29

Kléber acusa goiano de encenação e pede justiça no STJD
O último cartão vermelho, contra o Goiás, pode lhe custar uma dura punição no Superior Tribunal de Justiça Desportiva

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - O histórico de Kléber neste Campeonato Brasileiro está longe de ser marcado pelos três gols que assinalou em dez jogos. Nestas atuações, o atacante deixou o campo mais cedo em três oportunidades por receber o cartão vermelho. O último, contra o Goiás, pode lhe custar uma dura punição no Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

O julgamento da última expulsão ainda não está marcado, mas acredita-se que o jogador não teve ter o mesmo destino das outras duas oportunidades em que esteve enquadrado. Contra o Atlético-PR, o camisa 30 recebeu o vermelho por carrinho considerado violento, enquanto a exclusão diante do Náutico se deu por reclamação com o árbitro. Em ambas, foi absolvido. Mas no Serra Dourada a expulsão foi mais polêmica.

Em lance que as câmeras de televisão não conseguiram detectar, Kléber foi expulso, segundo a súmula do árbitro Alicio Pena Junior, porque o assistente Márcio Eustáquio Santiago diz ter flagrado um chute do palmeirense no zagueiro Rafael Marques. Acusação amplamente recusada pelo comandado de Wanderley Luxemburgo.

“A minha expulsão no primeiro jogo os jornais do dia seguinte discordaram. Na outra, argumentei com o árbitro e ele me expulsou. Agora contra o Goiás ninguém sabe o que aconteceu. O bandeira que viu alguma coisa”, defendeu-se o camisa 30.

“Não chutei, foi encenação. Ele caiu olhando para mim, Tentou levantar, mas o bandeira levantou e ele caiu de novo. Um cara que foi agredido não levanta”, continuou Kléber.

No Rio de Janeiro, quando estiver à frente de quem decidirá sua punição, o jogador usará dos mesmos argumentos. “Foi uma expulsão injusta e posso chegar no STJD e ser punido. Mas estou tranqüilo, porque não mereci ser expulso. Espero que eles tenham bom senso, que saibam que os árbitros estão pegando pesado comigo”.

O palmeirense, porém, alega ter aprendido a lição com o ocorrido. “Tenho que tomar cuidado porque os zagueiros vão tentar a encenação contra mim, cair, o árbitro olhar e falar: ‘o Kléber de novo’. Nesse caso, o banco do Goiás fez pressão e o juiz me expulsou”, relatou.

Com os gaúchos é diferente – Kléber já fala abertamente da possibilidade de os adversários se aproveitarem de sua fama de “indisciplinado” para lhe prejudicarem em campo. Contra o Grêmio, entretanto, o atacante garante não ter sofrido com isso. Até mesmo quando recebeu o cartão amarelo com dois minutos de jogo ao dividir a bola pelo alto.

“No lance, o jogador levantou e pediu desculpa pela encenação. Em outro lance, levei a falta e nós pedimos desculpas também. No futebol é assim, até porque depois ele pode vir aqui e eu para lá. Em Porto Alegre o pessoal foi muito gente boa”, elogiou o jogador, ávido por ampliar as gentilezas para todo o Brasil.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo