iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

28/07 - 17:04

Rosenberg garante: Corinthians voltará a vestir roxo
O roxo já deixou de decorar, entre outros, os banners e ônibus do Corinthians. Mas não foi aposentado.

Gazeta Esportiva

SÃO PULO - O departamento de marketing do clube assegura que o dia 2 de abril (vitória por 2 a 0 sobre o Fortaleza, pela Copa do Brasil) marcou a primeira, mas não a única aparição da equipe de Mano Menezes com o uniforme que homenageia sua torcida.

“Claro que voltaremos a usar o roxo. Pode escrever que eu garanto”, ditou à GE.Net Luís Paulo Rosenberg, vice-presidente de marketing do Corinthians, que já não teme mais a rejeição dos tradicionalistas à inovação. “Nunca vendemos tantas camisas como agora. O roxo pegou e está colorindo os estádios. Os adeptos da cor venceram”, comemorou.

Apesar do entusiasmo, Rosenberg prefere não agendar nenhuma data para a segunda partida que o Corinthians fará de roxo em sua história. No início do ano, a expectativa era que o time estreasse a terceira camisa contra o Marília, pelo Campeonato Paulista, jogo anterior à vitória sobre o Fortaleza. O presidente Andrés Sanchez retrocedeu diante da resistência de alguns torcedores.

Agora, caberá aos corintianos decidirem a próxima partida em que o Corinthians vestirá roxo. “Não será só mais um jogo, mas vários. Criaremos o ‘Alô, Fiel’ para a torcida opinar sobre os melhores dias para o time usar o roxo. Logo jogaremos com essa cor de novo. Isso é certo”, reforçou Rosenberg.

Nas últimas rodadas da Série B do Campeonato Brasileiro, o Corinthians estreou seus novos modelos de uniforme (o principal é branco com suaves listras pretas; o oposto do reserva). A polêmica, no caso, refere-se à cor escolhida para a camisa do goleiro Felipe, que previu ser chamado de “lombada” e “banana” pelos adversários caso continuasse de amarelo.

Rosenberg minimizou o pedido de Felipe para voltar a vestir uma cor menos reluzente. “Isso é fofoca. O Felipe está muito feliz de amarelo, defendendo tudo. A camisa é linda demais”, enalteceu o dirigente.

O vice-presidente de marketing do Corinthians aponta as inovações que a Nike promoveu nos uniformes da equipe para externar a satisfação do clube com sua fornecedora de material esportivo. “Nossa intenção era mesmo conseguir um lucro maior, mas nada evoluiu. Na verdade, nossa batalha não é por uma renegociação de contrato, mas por um acordo de renovação antecipado, com direito a um signing bônus”, projetou Rosenberg.

O vínculo entre Corinthians e Nike vencerá em dezembro de R$ 2009. Rende ao clube R$ 5 milhões anuais, valor que deixa o presidente Andrés Sanchez “desgostoso”. “Não negociamos com nenhuma outra empresa. Nossa prioridade é a Nike, com a qual estamos muito contentes”, opôs-se Rosenberg.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo