iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

27/07 - 09:56

Luiz Alberto reclama de expulsão: “Não agredi ninguém”

Capitão do Fluminense levou o cartão vermelho na derrota para o Cruzeiro em casa, pelo Brasileirão

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - Na zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o Fluminense terá três desfalques para tentar a reação contra a Portuguesa, no Canindé, na próxima rodada: Júnior César e Sandro, suspensos pelo terceiro amarelo, e o capitão Luiz Alberto, expulso no fim da derrota por 3 a 1 para o Cruzeiro no Maracanã por agressão ao meia Wagner.

Visivelmente abatido, o jogador tentou se justificar após a derrota para a Raposa e criticou a decisão do árbitro paulista Wilson Luiz Seneme . ''Não agredi o jogador, não tinha a intenção de fazer isso. O árbitro estava de costas e não viu o lance. Eu acho que isso é imaturidade da arbitragem'', acusou o zagueiro.

O técnico Renato Gaúcho, que culpa o número de desfalques pela má fase do Flu, não ficou irritado com o capitão e evitou comentar o lance polêmico. “Mas se isso que o Luiz falou for verdade, será a primeira vez na história em que um juiz expulsa um jogador de costas para o lance”, ressaltou.

Fora do compromisso da próxima quarta-feira contra a Lusa, Luiz Alberto espera que a equipe inicie a recuperação imediatamente. Mesmo sem conseguir explicar os motivos da queda de rendimento do Flu, ele tem a certeza de que o Tricolor sairá da zona do rebaixamento.

“Eu acredito que o Fluminense vai sair dessa. Nós não vamos nos entregar. Temos condições de sair dessa situação. Nossa resposta tem que ser dentro de campo. Não adianta criticar os outros, pois o momento é de união, de se ajudar dentro de campo”, receitou.

''Têm momentos em que a gente não consegue vencer. Eu não sei explicar direito, não estamos nos encontrando em campo. Nesse momento os mais velhos têm que falar com os mais jovens para mostrar que o Brasilierão não é brincadeira. Temos que nos unir'', insistiiu o capitão tricolor.


Leia mais sobre: Fluminense Brasileirão

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo