iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

25/07 - 08:33

Myanmar: Futebol e lágrimas
País recentemente afetado por ciclone já foi uma potência futebolística no Sudeste Asiático

Trivela.com

SÃO PAULO - Um ciclone e um governo ditatorial. Esses dois itens provocaram uma das maiores tragédias da humanidade. A passagem do tufão Nargis no início do mês de maio de 2008 deixou um rastro de destruição com o saldo de 134 mil mortos e mais de 2 milhões de desabrigados. Uma grande reconstrução deve acontecer para sanar todas as perdas. Ciclone à parte, o futebol de Myanmar também precisa passar por transformação para voltar a ter alegrias.

As primeiras bolas rolaram em Myanmar em 1885, quando soldados e imigrantes britânicos ocuparam e colonizaram o país. A federação foi fundada em 1947 e no ano seguinte ocorreu a afiliação à Fifa. O grande momento do futebol local aconteceria nos anos 1960.

Conquistas com outro nome

Entre 1965 e 1976, a Birmânia (nome anterior de Myanmar) viveu sua melhor fase no futebol. Durante esse período, a seleção conseguiu um pentacampeonato na Ásia e uma classificação às Olimpíadas.

É bem verdade que para vencer os Jogos do Sudeste Asiático por cinco vezes consecutivas (1965 a 1973) a Birmânia só enfrentou adversários como Indonésia, Vietnã e Filipinas entre outros integrantes da Associação de Nações do Sudeste Asiático. Sem enfrentar as Coréias, Irã e as seleções árabes, não havia grandes adversários no caminho para os títulos. A equipe também foi bicampeã dos Jogos da Ásia, em 1966 e 1970, e levou duas Copas Merdeka (torneio disputado em Kuala Lampur para comemorar a independência da Malásia), em 1964 e 1971.

Campeonato pra valer mesmo Myanmar só disputou dois. O primeiro foi a Copa da Ásia de 1968. Na primeira fase, quando sediou uma das chaves, a seleção venceu Índia, Paquistão e Camboja. A fase final aconteceu em Teerã e os cinco participantes se enfrentaram em turno único. A estréia foi com vitória sobre Hong Kong por 2 a 0. Depois um empate por um gol contra Formosa (Taiwan) e outra vitória por 1 a 0 sobre Israel. A única derrota foi para o anfitrião por 3 a 1. Como o Irã venceu todos os jogos, a Birmânia ficou em segundo lugar em sua única participação.

Nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, a Birmânia perdeu para União Soviética e México pela contagem mínima e venceu o Sudão por 2 a 0. Apesar de ter relativo sucesso nesse período, a Birmânia não chegou a disputar eliminatórias de Copa do Mundo.

Brasileiro tentou mesmo sem condições

A falta de estrutura e os poucos recursos financeiros impedem um desenvolvimento melhor do futebol em Myanmar. A Premier Divison reúne 14 times e representa a principal divisão do campeonato local. Ainda há outras cinco divisões e torneios regionais. A presença do governo é evidente. O nome das equipes locais tem ligação com os ministérios ou exército. O general Than Shwe é fanático por futebol e em 2007 convidou o japonês Nakata para uma partida amistosa.

O intercâmbio de profissionais pode ajudar o desenvolvimento do esporte. O treinador brasileiro Marcos Falopa chegou em 2007 para dirigir a seleção, atendendo a um convite da federação asiática.

Falopa é um andarilho do mundo da bola e é pouco conhecido no Brasil. Segundo o técnico, ele já esteve presente em 103 países. Em entrevista ao canal de TV Bandnews ele contou as condições da estrutura em Myanmar: “É muito amadora. O país tem só dois bons estádios e há carência de material”. O problema político também atrapalha: ”Não é fácil, em um ambiente conturbado, que tem até toque de recolher, fazer um jogador lembrar de um treino tático” completou.

Sob o comando do técnico brasileiro, Myanmar levou duas goleadas da China pela fase preliminar das eliminatórias para a Copa de 2010: 7 a 0 como visitante e 4 a 0 em partida disputada na Malásia. Essa foi a primeira vez que o país disputou uma vaga a um Mundial. Nas eliminatórias de 2002, a federação local retirou a inscrição e por isso foi punida pela Fifa, que afastou o país das eliminatórias para 2006.

Falopa, que em 2008 treinou o Legião, do Distrito Federal, diz que há uma promessa de bom jogador no país. É o atacante Yan Pae. “Tem nível para jogar em um time da segunda divisão daqui, quem sabe até da primeira”, disse.

Ditadura altera o nome do país

A passagem do ciclone que matou milhares de pessoas foi agravada pelo fato de o governo de Myanmar se recusar a aceitar ajuda humanitária, gerando indignação internacional. Após a independência em 1948, a então Birmânia teve um governo civil até 1962, quando um golpe de Estado aconteceu.

Em 1989, o regime militar decidiu alterar o nome do país. Birmânia era um nome dado pelos colonizadores, com base na pronúncia coloquial da população para o nome local – que sempre foi Myanmar, para os nativos. Com o consentimento da ONU, a discrepância foi eliminada, e a nação passou a ser conhecida internacionalmente com o nome atual.

Desde 1992, o general Than Shwe controla o país e reprime duramente qualquer protesto por parte da população. O comandante acusa a existência de um complô internacional para derrubá-lo do governo, que seria liderado pelo Reino Unido e Estados Unidos.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo