iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

24/07 - 02:32

Flamengo alega “humanidade” e poupa Roman de críticas

Quem mais apoiou o juíz foi Caio Júnior. O técnico comentou que é difícil criticar porque parananaense  é ser humano

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Enquanto a Portuguesa não escondia a revolta com Evandro Rogério Roman, o vestiário do Flamengo demonstrava tranqüilidade em relação ao árbitro que apitou o empate por 2 a 2 dessa quarta-feira no Canindé. Tidos como beneficiados pela acusação de terem marcado dois gols utilizando a mão, os rubro-negros minimizaram as críticas ao paranaense do quadro da Fifa.

“Se ele errou, vai chegar em casa e ver o que fez. Mas todo mundo pode errar. A gente fica na cabeça que não foi por má intenção”, defendeu o zagueiro Fábio Luciano. “Ele é um árbitro experiente, soube conduzir bem o jogo”, acompanhou Juan.

Quem mais apoiou Roman, contudo, foi Caio Júnior. O técnico, porém, também deu seu “pitaco” em relação ao árbitro. “Ele errou porque é ser humano. É difícil criticar. Só posso falar dos dois gols quando assistir os lances na televisão. Em relação ao pênaltis, a informação que eu tive é que o Bruno não se mexeu no lance que foi anulado e o Sérgio se mexeu no que não foi anulado”, contestou.

Seguindo o discurso do comandante, os contestados lances dos gols flamenguistas foram ignorados pela equipe. Evandro Rogério Roman só foi comentado mesmo pelos dois pênaltis que deu na partida. E questionado por ter anulado a defesa de Bruno na primeira cobrança de Diogo.

“Não tive muita visão dos lances em campo, mas o pênalti que ele mandou voltar com o Bruno é difícil. Como ele vai saber que o cara vai dar uma ‘paradinha’?! Aí ele adianta”, disse Juan.

Contestações à parte, o número de penalidades no Canindé já era esperado por Caio Júnior. “Falei na palestra que o Roman dava pênalti e acertei. É uma característica dele, tem coragem para isso. E se ele viu, tem que dar. Conheço ele do Paraná, é um árbitro sério”, assegurou o treinador.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo