iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

24/07 - 14:10

Esquecimento de Tardelli retoma dúvida de Caio Jr no clássico

"Esqueci que tinha tomado o cartão amarelo. Foi uma coisa de intuição, impulso", disse o atacante

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - Aos 18 minutos do segundo tempo do empate por 2 a 2 com Portuguesa, Diego Tardelli saiu de campo hostilizado por todo o Canindé. O atacante, eleito por Caio Júnior substituto do artilheiro Marcinho, recebeu o segundo cartão amarelo ao tentar enganar o árbitro Evandro Rogério Roman desviando cruzamento com a mão.

Ousadia que se tornou dor de cabeça para o técnico do Flamengo enfrentar o Botafogo neste domingo.

“Esqueci que tinha tomado o cartão amarelo. Foi uma coisa de intuição, impulso, algo de querer ajudar o time em um momento importante do jogo. Mas sei que errei e já pedi desculpas ao professor Caio e também aos meus companheiros. Acabei atrapalhando o time”, tentou justificar Diego, suspenso para o clássico.

Sem o camisa 11, o Rubro-negro terá de testar outra opção para que o time não sofra sem um jogador de armação no clássico. Maxi Biancucci é o mais provável responsável pela criação no duelo no Maracanã, com a ajuda de Eder, surpresa de Caio Júnior contra a Lusa. Kléberson também pode aparecer se estiver recuperado de lesão muscular.

“Depois que o Renato Augusto saiu, falta um meia de ligação no meu time. Não vou poder usar o Diego Tardelli e vou ter que tentar com o Maxi, o Eder. Tentei o Jonatas, mas ele não foi bem”, avaliou o comandante, já descartando lançar o prata-da-casa Erick Flores, especialista na função. “Tenho que segurar o Erick para não pular etapas”, explicou.

Seja quem for seu substituto, Tardelli volta para o Rio de Janeiro em baixa com seu treinador. “Lamento o que aconteceu. Ele está em um momento especial, tendo chances como titular, e estava fazendo um bom jogo, também jogou bem contra o Vitória. Foi um vacilo, faltou concentração”.

Desde a saída de Marcinho para o exterior, Caio não esconde que vê no camisa 11, que custou US$ 1 milhão e ainda não marcou nesse Brasileiro, as mesmas características do goleador que seguiu para o Catar. “É uma pena essa expulsão do Diego. Eu orientei, falei para ele: ‘olha, não vai ficar dando carrinho, reclamando com o árbitro’. É uma pena e agora ele vai dar chance para o Maxi, o Eder”, reforçou.

Preparado para as críticas, Tardelli torce ao menos para que o Grêmio não vença o Figueirense nesta quinta-feira, em Florianópolis, e o Flamengo siga na liderança do Brasileiro. “Poderíamos ter ganhado. Somamos um ponto importante fora de casa, mas agora temos que ‘secar’ o Grêmio”, comentou o atacante.

Apoio ao outro Diego – Se Tardelli “queimou seu filme” no Canindé, o Rubro-negro passa força ao homônimo do camisa 11. O goleiro Bruno recebeu o terceiro amarelo contra a Portuguesa e está fora do clássico. Diego já está confirmado como seu substituto, com a aprovação dos companheiros.

“Eu não me preocupo. Sempre que teve chance, o Diego resolveu. É um grande goleiro e com certeza vai nos ajudar”, elogiou Leonardo Moura. “Tenho que dar tranqüilidade ao Diego, assim como dei para o Egidio”, emendou Caio Júnior, lembrando da escalação do lateral-esquerdo reserva na vaga do então suspenso Juan contra o Vitória, no sábado.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo