iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

23/07 - 18:19

Leandro minimiza caráter decisivo do clássico no Palestra

Mesmo com surpreendente tropeço diante do Goiás, a desvantagem em relação ao líder Flamengo permanece em cinco pontos

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Um tropeço no clássico diante do Santos pode deixar o Palmeiras ainda mais longe das principais colocações do Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, o lateral-esquerdo Leandro evita colocar o jogo diante do Peixe como fundamental para o futuro do campeão paulista na competição.

Antes do início da 14ª rodada, o Palmeiras ocupa a sexta colocação da classificação. Mesmo com o surpreendente tropeço diante do Goiás, a desvantagem em relação ao líder Flamengo permanece em cinco pontos.

”Nosso pensamento é vencer, mas, se perder, não quer dizer que vamos ficar de fora da briga. O São Paulo estava atrás na tabela e já nos passou. Essa é uma competição que você tem que somar”, disse o camisa seis, após o treino desta quarta-feira na Academia de Futebol.

As cobranças são, porém, fortes sobre o elenco alviverde. Leandro foi obrigado até a responder sobre a possibilidade de uma “pré-crise” em caso de um resultado negativo contra um adversário que está na zona de rebaixamento.

”Crise? Acho que não”, disse Leandro, que comentou o fato de estrelas do clube, como o meia Valdívia e até o técnico Vanderlei Luxemburgo, fugirem do contato com os jornalistas. “Se não querem falar, é um direito deles. É claro que estamos chateados com tudo isso, mas só nós podemos reverter essa situação”, emendou.

Um fato favorável ao Palmeiras é o reencontro com o Parque Antártica. Em casa, o Verdão segue invicto no Campeonato Brasileiro. Leandro acha que, com o apoio da torcida, os jogadores terão ainda mais garra para superar os dez desfalques.

“Temos que encarar o Santos, não tem jeito, não tem opção. Infelizmente são vários machucados e suspensos. Mas se o jogador está no Palmeiras é porque tem condições e pode provar”, destacou Leandro.


Leia mais sobre: Palmeiras Leandro

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo