iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

22/07 - 11:34

Muricy admite: escalação contra Inter é uma incógnita
Certezas mesmo, apenas as ausências do zagueiro Miranda e do atacante Borges, lesionados

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - O São Paulo enfrenta o Internacional nesta quarta-feira, a partir das 21h50 (horário de Brasília), no estádio do Beira-Rio. Mas apesar da boa fase do Tricolor no Campeonato Brasileiro, no qual venceu os três últimos jogos, o técnico Muricy Ramalho tem uma série de problemas para escalar o time que levará a campo.

Não são poucas as dúvidas do treinador. Certezas mesmo, apenas as ausências do zagueiro Miranda e do atacante Borges, lesionados. Além disso, o também zagueiro Alex Silva e o médio-volante Hernanes, ambos servindo à seleção olímpica, não atuam na partida em Porto Alegre. De resto, o São Paulo que vai ao Sul é um grande quebra-cabeças.

Para a dura missão de enfrentar seu ex-time, Muricy ainda conta com um grande número de jogadores pendurados com dois cartões amarelos. A relação conta com Rogério Ceni, Miranda, Zé Luis, Hugo e Dagoberto, dos quais apenas o já citado Miranda está com certeza de fora.

Com isso, o técnico são-paulino terá que se virar para escalar sua equipe. No gol, o capitão Rogério segue inabalável, mas a zaga pode atuar com dois ou três zagueiros. No caso da primeira opção, Joilson e Cazumba assumiriam as laterais, com Juninho e André Luis completando o setor. Para a segunda, Zé Luis entraria improvisado na zaga.

“Na zaga, perdemos um jogador importantíssimo para a bola aérea. E o que mais tem no futebol brasileiro, hoje, é bola parada. Todos os times treinam isso. O Alex Silva é importantíssimo nisso, e vamos perder muito sem ele”, lamentou Muricy, após o treino da manhã desta terça-feira.

Com dois ou três zagueiros, o meio-campo com diversas opções. Richarlyson, Hugo e Jorge Wagner são os estão praticamente garantidos nos dois esquemas. Neste caso, o jovem volante Jean voltaria para o banco de reservas, enquanto Joilson e Cazumba seriam colocados como alas.

O treinador deu pistas de que Joilson entrará no meio-campo, mas tentou despistar sobre o assunto Cazumba. “Aqui todo mundo pode começar. Quem está inscrito, tem chances”, afirmou.

No ataque, mais definido, Dagoberto e Éder Luís devem ser mantidos, mas Aloísio pode ser escalado para a preferência de uma jogada de bola aérea. Assim, o “esqueleto” do time seria Rogério, Zé Luis, Juninho e André Dias; Joilson (Éder ou Jancarlos), Jean, Hugo, Richarlyson, Jorge Wagner e Cazumba; Éder Luis (Aloísio) e Dagoberto.

A fase, porém, deve manter Dagoberto como titular. “Joga aqui quem merecer mesmo, e quem o técnico achar que é bom para o time. Não quem é bom pra mim, nem que é bom para o jogador”, disse Muricy, que justificou seu mistério. “Sou eu que arrumo essa confusão. Minha cabeça não pode ter outra opção, senão entender o que eu faço.”


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo