iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

20/07 - 23:30

Denílson se defende, mas revolta diretoria palmeirense

Dirigentes prometem punição ao atacante, que recebeu vermelho quando jogo contra Goiás já havia terminado

Gazeta Esportiva


GOIÂNIA - As expulsões dos atacantes Kléber e Denílson na derrota para o Goiás revoltaram a diretoria do Palmeiras. No desembarque da equipe em São Paulo, enquanto o meia-atacante se defendia com serenidade das críticas, as veias do pescoço do gerente de futebol Toninho Cecílio saltavam para, enfurecido, fazer ameaças de punição.

Denílson recebeu o cartão vermelho quando a partida deste domingo já havia acabado, por ofender o árbitro mineiro Alicio Pena Júnior. “Falei que ele estava de sacanagem, dei as costas e saí fora. Se perdermos o direito de conversar com a arbitragem, aonde vamos parar?”, questionou o jogador, em entrevista à TV Gazeta.

O discurso não convence Toninho Cecílio. “Não vamos mais admitir esse tipo de postura. Os atletas não podem esquecer que teremos um clássico na próxima rodada. O departamento de futebol do Palmeiras está revoltado. Vamos cobrá-los seriamente e isso não vai ficar assim. Não tenham dúvidas”, esbravejou o dirigente.

Já o atacante Kléber peca pela reincidência. Ele foi expulso pela terceira vez no Campeonato Brasileiro contra o Goiás. “Já tivemos uma conversa com ele sobre isso. Agora, exigimos uma mudança de postura”, protestou Cecílio.

A cúpula diretiva do Palmeiras e o técnico Vanderlei Luxemburgo agendaram reunião para, na tarde de terça-feira, deliberar sobre Denílson e Kléber.


Leia mais sobre: Denílson Palmeiras Campeonato Brasileirão

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Futura Press

Festa em casa
Enquanto palmeirenses lamentam derrota e expulsões, Goiás vibra com a vitória diante da torcida

Topo