iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

17/07 - 20:29

Para Paixão, Ronaldinho pode voltar a ser o melhor do mundo

"Esperamos que ele possa ser novamente o número um do mundo. Qualidade ele tem para isso", disso o preparador físico

Gazeta Esportiva

PORTO ALEGRE - Em fase de preparação para os Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto, Ronaldinho Gaúcho está retomando a boa forma com o preparador físico da seleção brasileira, Paulo Paixão. De acordo com Paixão, o jogador voltará a ser o melhor do mundo, prêmio que Ronaldinho já conquistou em duas oportunidades – nos anos de 2004 e 2005.

“A fase inicial dos treinamentos foi muito boa. Estamos trabalhando com uma estrutura muito profissional, o Ronaldinho tem nutricionistas, massagistas à sua disposção. Ele respondeu muito bem ao programa, seu estágio no momento é regular para bom”, avaliou o preparador físico, em entrevista à Rádio Globo.

Para ele, o atleta está se esforçando ao máximo para voltar ao topo. “Esperamos que ele possa ser novamente o número um do mundo. Qualidade ele tem para isso, e está se empenhando bastante”, disse Paixão. Roberto Assis, irmão e empresário de Ronaldinho, também aposta na volta por cima do jogador.

“Com ritmo de jogo ele vai retomar o nível dele”, garantiu Assis, que destacou que sua recente transferência para o Milan, da Itália, será um fator determinante para que Ronaldinho recupere o prestígio em sua carreira.

“A recepção no San Siro foi maravilhosa, mais de 40 mil pessoas estavam no estádio. O Ronaldinho está muito satisfeito com o carinho da torcida. Quis o destino que ele fosse para o Milan, um clube com uma estrutura maravilhosa, que pode proporcionar a ele uma boa qualidade de vida”, afirmou o empresário de Ronaldinho.

Assis também acredita que o apoio da torcida milanesa também ajudará o atleta a recuperar a confiança em tempo de ajudar a seleção brasileira nas Olimpíadas de Pequim: “Esse apoio vai ser muito importante para trazer a medalha de ouro, que o Brasil ainda não tem”, finalizou.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo