iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

14/07 - 08:29

Aconteceu uma patinada em Nagoya
Grampus Eight se atrapalha e perde a ponta no Campeonato Japonês

Trivela.com

Quando a temporada 2008 da J-League começou, o Nagoya Grampus era apontado como mero figurante apesar de fazer parte do rol dos seis clubes que nunca caíram para a J-2, a 2ª divisão nipônica.

A equipe treinada pelo ex-craque iugoslavo Dragan Stojkovic, estreante na profissão, disparou na liderança, venceu seis jogos seguidos nas primeiras sete rodadas, vinha disputando o topo da tabela palmo a palmo com Kashima Antlers e Urawa Reds, mas nas últimas quatro rodadas perdeu o pique.

A noticia que caiu como uma bomba na cidade foi o flagrante do meia brasileiro Magnum, ex-Paysandu e Santos, que foi pego dirigindo sem carteira de habilitação. Resultado: multa e três jogos sem entrar em campo. Como era um dos destaques, sua ausência ruiu a equipe.

Seu substituto, o ‘jurássico’ Toshiya Fujita, de quase 500 partidas da Liga no currículo, sente o peso dos 36 anos. Com um meio-campo pobre de imaginação e criatividade, o ataque (já limitado) empalidece.

A avalanche não pára por aí. A intenção pré-campeonato de utilizar jovens valores foi para o ralo, a média de idade dos titulares passa dos 28 anos.

O Grampus é refém do talento dos veteranos. O goleiro Seigo Narazaki, 32, tem alternado péssimas e excepcionais apresentações. O miolo defensivo, Omori e Yoneyama, já está na casa dos trinta e não tem reservas a altura. O artilheiro norueguês Frode Johnsen, 33 anos, nunca joga 90 minutos, mas é quem tem resolvido. Seus 8 gols foram essenciais para catapultar a equipe vermelha ao sucesso.

O grande entrave é que esses elementos já sentem o cansaço da temporada e seus desempenhos começam a oscilar e cair já agora no meio da J-League. Uma situação que cabe a Dragan Stojkovic resolver.

O ex-camisa 10 do clube reencontra uma realidade diferente dos seus velhos tempos de jogador no Japão. Sem ter a saúde financeira de Urawa Reds, Kashima Antlers e Gamba Osaka, “Pixie”, como é chamado pelos torcedores, terá a árdua missão de manter o Nagoya Grampus entre os gigantes do país até dezembro, quando acaba a competição.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo