iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

14/07 - 09:17

Um dos heróis do clássico, Fabrício se diz em sua melhor fase

Volante exaltou a importância do gol marcado por Ramires depois de um lançamento seu

Gazeta Esportiva

BELO HORIZONTE - O clássico desse domingo no Mineirão foi decidido aos 46 minutos do segundo tempo com um passe preciso do meio-campo que encontrou Ramires livre para fazer o gol da vitória do Cruzeiro por 2 a 1. E o autor do lançamento acredita que o lance é fruto do sucesso que tem atravessado com a camisa azul. Exaltado pelo feito, Fabrício diz que nunca esteve tão bem.

“Hoje, estou vivendo a melhor fase da minha carreira. Estou procurando errar o menos possível. Lógico que só fazendo o simples, tocando para o lado, você não erra. Você erra quando tenta uma bola mais longa, um drible. Isso faz parte, tem que arriscar. Acontecem alguns erros, mas tenho me cobrado bastante e estou feliz”, comentou.

Uma das novidades trazidas por Adilson Batista no início do ano, o volante achou espaço no meio-campo técnico montado ao lado de Charles, Ramires e Wagner. Alegre pela segunda posição no Campeonato Brasileiro após 11 rodadas, o ex-corintiano revela que a força de sua equipe está no diálogo entre as peças do quarteto.

“Temos nos dado bem, a gente conversa muito, tem uma movimentação muito boa, com um indo para o ataque e outro ficando, ou fazendo a cobertura dos laterais”, contou, usando como exemplo o que aconteceu diante do Atlético Mineiro. “Falei no intervalo que íamos superá-los por causa do nosso condicionamento físico. É difícil parar o nosso meio-campo”.

Com um discurso lúcido, Fabrício é visto como um veterano no meio-campo celeste, já que é o mais velho dos componentes do setor. Com 26 anos completados recentemente, o volante refuta o rotulo, mas admite que sua experiência com passagens por Corinthians e futebol japonês tem feito a diferença na Raposa.

“Não sou tão experiente assim, mas o que conta na minha experiência é falar para o meio-campo só atacar na hora boa, na hora certa, não arriscar e nem fazer loucura. Tem dado certo. Contra o Atlético, eu fui, mas já tava o Charles lá atrás guardando posição. E tive a felicidade de achar espaço para o Ramires”, comemorou.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo