iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

14/07 - 18:13

Depois de 18 segundos de glória, Éder Luis sonha em ser pivô

"É importante ter uma referência, mas, como não temos, vamos treinar durante a semana. Já joguei assim no Atlético-MG"

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - O São Paulo vencia o Palmeiras por 1 a 0 quando Borges caiu sobre o braço e sofreu luxação no cotovelo. Éder Luis entrou em seu lugar e, uma tabela com Jorge Wagner e três toques na bola depois, fuzilou Marcos, ampliando o placar. O tempo que levou para fazer tudo isso? 18 segundos.

“Dezoito segundos podem mudar a carreira de qualquer jogador. Estou trabalhando, com paciência. O que mais quero é ajudar, né? Isso é o mais importante. Penso sempre no grupo. Quando o grupo vence, fico feliz”, assegurou o jogador, que já marcou três gols no Brasileirão.

Sem Borges, contundido, e Aloísio, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o técnico Muricy Ramalho tem boas chances de optar pelo herói do clássico para executar a função de “pivô” da equipe no confronto de quarta-feira diante do Vitória, em Salvador. A menos que arrisque colocar o garoto Roni, recém-promovido das categorias de base.

“É importante ter uma referência, mas, como não temos, vamos treinar durante a semana. Já joguei assim no Atlético-MG e, se o Muricy quiser, vou fazer o meu melhor. Esse é um momento em que todos do grupo têm que estar preparados. Eu estou”, assegurou Éder Luis, colocando-se à disposição para ser o “matador” de Muricy na Bahia.

Éder acredita que o gol marcado no clássico lhe dará a confiança que faltou quando trocou o Galo mineiro pelo Tricolor. “Eu já tive muitas oportunidades, mas estava fora da minha posição e isso não me agradava. Agora, na posição que eu gosto, os gols estão saindo”, argumentou o camisa nove, provável companheiro de Dagoberto para o próximo compromisso da equipe no Brasileirão.


Leia mais sobre: Éder Luis São Paulo

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo