iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

13/07 - 20:06

Falta de referência ofensiva: a preocupação são-paulina
André Lima, contratado junto ao Hertha Berlim, da Alemanha, só estará liberado para atuar em agosto

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Adriano, artilheiro do São Paulo na temporada, com 18 gols, voltou para a Inter de Milão. Borges, o vice, com um gol a menos, luxou o cotovelo esquerdo e ficará pelo menos três semanas fora de combate.

André Lima, contratado junto ao Hertha Berlim, da Alemanha, só estará liberado para atuar em agosto.

Para aumentar ainda mais os problemas de Muricy Ramalho, o São Paulo não terá Aloísio, punido com o terceiro cartão amarelo, na partida da próxima quarta-feira, em Salvador, diante do Vitória, ficando apenas com Éder Luis e Dagoberto como opções para a linha de frente.

“É por isso que eu sempre digo que o plantel é muito importante em campeonatos longos, de pontos corridos. O André (Lima) só estará à disposição em agosto e perdi o Borges e o Aloísio. Ficamos sem referência. Tenho jogadores que são mais preparadores de jogadas, mas não alguém que ponha a bola para dentro. Vamos encontrar dificuldades”, admitiu Muricy, preocupado com a falta de um 'matador'.

A preocupação do treinador são-paulino ganhou força nas palavras do capitão Rogério Ceni. Para o camisa um, as ausências de Miranda, machucado, e André Dias, suspenso, no setor defensivo, não serão tão complicadas quanto os problemas que Muricy terá na linha de frente.

“Lá atrás é sempre mais fácil de consertar. Para a defesa nós temos o Juninho, que é experiente, foi muito bem contra o Náutico, e o Aislan, um zagueiro jovem e de qualidade, mas, na frente, como referência, não temos ninguém. Talvez a saída seja a improvisação de alguém do meio atuando mais avançado, ou então montar com jogadores de movimentação. De qualquer forma, ficaremos sem opções para a reserva”, conformou-se.

A definição sobre quem formará o ataque titular começará a sair nesta segunda-feira à tarde, na reapresentação do elenco. Éder Luis e Dagoberto, favoritos para formarem a linha ofensiva contra o Vitória, em Salvador, estão bem no conceito de Muricy.

'O Dagoberto jogou bem e, se não fez gol, foi um outro problema. Ele entrou em campo com uma missão específica, que era cair nas costas dos laterais do Palmeiras. E fez isso muito bem', elogiou.

'O Éder Luis é um jogador para esse tipo de jogo, para o contra-ataque. Ele mostrou competência e sorte. É um jogador que não desiste nunca e treina muito. Quem trabalha assim tem uma chance maior de acertar', finalizou.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo