iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

11/07 - 14:07

PC rejeita e Botafogo não consegue fechar com Mancini e Benazzi
Os dirigentes alvinegros desistiram quando PC Gusmão declarou que não deixaria o campeão catarinense

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - A diretoria do Botafogo continua trabalhando para anunciar um novo técnico para a vaga de Geninho, que se desligou após a goleada de 5 a 2 sofrida diante do Vitória na quarta-feira. O primeiro nome da lista era Paulo César Gusmão, que recentemente assumiu o Figueirense.

O treinador seria procurado na manhã desta sexta-feira, mas os dirigentes alvinegros desistiram porque após o empate por 1 a 1 com o Palmeiras, na quinta-feira, PC Gusmão declarou que não deixaria o campeão catarinense.

“Tenho uma dívida com o Botafogo pela forma como deixei o clube em 2005 e já pedi desculpas por isso. Minha família é botafoguense. Tenho enorme carinho pelo Bebeto de Freitas, mas não é o momento de deixar o Figueirense”, afirmou Paulo César Gusmão.

A dívida a que PC Gusmão se refere aconteceu no início do Brasileiro de três anos atrás, quando ele deixou o Glorioso na liderança da competição alegando interferência da diretoria no seu trabalho e reclamando dos salários atrasados. Anos depois, reconheceu publicamente que aquele foi o principal erro de sua carreira. Para Bebeto de Freitas, o episódio está superado, mas ainda existe resistência de outros membros da diretoria.

Alguns nomes foram sondados pela diretoria do Botafogo, como Vágner Mancini, do Vitória, e Vágner Benazzi, da Portuguesa, mas perderam força no clube. No primeiro caso, o problema é a multa rescisória com o clube baiano, que não abre mão da indenização. Já Benazzi pediu um salário considerado alto e ainda exigiu autonomia no departamento de futebol.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo