iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

07/07 - 18:54

Mano pretende restringir presença de torcida nos treinos
O técnico Mano Menezes aprovou a presença de torcedores no treinamento do Corinthians desta segunda-feira, no Parque São Jorge, porém não quer que a manifestação de incentivo seja constante.  o treinador, o barulho do público prejudica o trabalho da equipe.

Gazeta Esportiva

Segundo o treinador, o barulho do público prejudica o trabalho da equipe.

“Gosto que os jogadores se concentrem no que estão fazendo. Com a torcida, a gente não se comunica tanto e eles ficam dispersos. Então, isso pode acontecer de vez em quando, mas não ser uma regra”, justificou.

Nesta segunda, integrantes da segunda principal torcida organizada do Corinthians cantaram, com batuques, durante toda a atividade do Corinthians. Ostentaram bandeiras, faixas e cartazes, quatro deles com os dizeres: “Vale três pontos”; “Treino é jogo”; “Jogo é guerra”; “Série A é a meta”.

A aparição dos torcedores é bem diferente daquela que marcou o treino do dia 24 de junho, quando o zagueiro Fábio Ferreira foi chamado de “cachaceiro” e “baladeiro”; o meia Lulinha, de “mentira”; e o goleiro Felipe, de “pipoqueiro”. “Eles sempre vêm para criticar e, hoje, cantaram. Foi muito bom”, sorriu o atacante Acosta.

Mano Menezes concorda com o uruguaio. “Quando os torcedores transmitem uma coisa positiva, sempre é bom. Não tenho nada contra. O torcedor precisa ser inteligente para entender o momento que a equipe está passando e dar a sua parcela de contribuição. Vamos tirar proveito disso”, projetou o técnico, que prevê ainda mais apoio no Pacaembu, terça-feira, contra o Marília.

“As críticas são exceções. A gente teve bastante tranqüilidade para trabalhar no decorrer da temporada. O mais importante é o comportamento nos jogos. Eles comparecem e ajudam muito a equipe, transmitindo uma confiança que faz a diferença”, disse Mano.

O técnico do Corinthians ainda afirmou que há muito mais torcedores como os que assistiram ao treinamento desta segunda-feira do que aqueles que estiveram no Parque São Jorge há cerca de duas semanas. “A maioria continua acreditando. As ruas não mentem. Às vezes, determinados grupos são mais enfáticos em colocar as suas posições. Mas não dá para dizer que representam a torcida do Corinthians”, diferenciou Mano Menezes.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias