iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

07/07 - 16:30

Geninho comemora 'paz momentânea'

Vitória do Botafogo sobre o Grêmio diminuiu a pressão sobre o treinador

Gazeta Esportiva

Antes do jogo contra o Grêmio era voz quase unânime nos corredores de General Severiano, que o técnico Geninho seria demitido do Botafogo em caso de tropeço. Desta maneira, a vitória por 2 a 0 serviu para que o treinador ganhasse um gás extra para tentar levantar o Alvinegro carioca dentro do Campeonato Brasileiro.

Substituto de Cuca, que estava no clube desde 2006, Geninho prega a paciência para realizar o seu trabalho.

”O Botafogo tinha uma maneira de jogar e não dá para se mudar um estilo de uma hora para outra. Estou aí tentando dar a minha contribuição”, comentou Geninho, que negou ter se sentido ameaçado no cargo. “Da parte da diretoria nunca me senti pressionado”, completou.

Experiente, Geninho espera que os três pontos conquistados diante do Grêmio também sirvam para dar ainda mais moral para os seus comandados.

”Esta partida tem que servir como exemplo para os nossos compromissos, pois vencemos um time que era vice-líder do campeonato e mostramos que podemos enfrentar qualquer um de igual para igual”, ressaltou o comandante botafoguense.

Mas para se manter tranquilo no Botafogo, Geninho terá uma missão complicada pela frente. Para esta semana, a tabela do Brasileiro reserva dois jogos fora de casa para o time carioca, contra Vitória-BA (quarta-feira) e Santos (domingo).

”Temos dois jogos terríveis pela frente. Nunca foi fácil enfrentar Vitória, no Barradão, e Santos, na Vila Belmiro. Vamos trabalhar para trazer o maior número de pontos dessas duas partidas fora de casa”, afirmou Geninho, que não poderá contar com o volante Túlio, suspenso, contra o Vitória.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias