iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

06/07 - 18:05

Com gol relâmpago, Vitória vence a Portuguesa e entra no G-4
Agora há cinco jogos invicto no Campeonato Brasileiro, o Vitória bateu a Portuguesa por 2 a 1 neste domingo, no estádio do Canindé, e chegou à zona de classificação à Copa Libertadores. O clube baiano soma os mesmos 17 pontos de Grêmio (com um jogo a menos) Cruzeiro e Palmeiras, mas leva vantagem sobre os paulistas no saldo de gols.

Gazeta Esportiva

Para alcançar a quarta colocação do Nacional, o Vitória contou com o segundo gol mais rápido da história da competição. Dinei abriu o placar aos 9 segundos de jogo, marca superada apenas por Nivaldo, que fez aos 8 o primeiro gol do triunfo do Náutico sobre o Atlético-MG, por 3 a 2, em 18 de outubro de 1989.

Ramon marcou o segundo gol do Vitória, que teve Marco Aurélio expulso. Vaguinho descontou. Na próxima rodada, os baianos receberão o Botafogo. Já a Portuguesa, que não era derrotada há quatro partidas, visitará o Coritiba. O clube paulista caiu na tabela de classificação do Brasileiro, permanecendo com 12 pontos ganhos.

O jogo – Willians teve enorme participação no gol relâmpago do Vitória. O meio-campista pressionou a saída de bola da Portuguesa, conseguiu o desarme, desvencilhou-se da marcação e encontrou Dinei livre na entrada da área. Com um chute rasteiro, o atacante acertou o canto do gol defendido por André Luís.

Irritado com a surpresa da equipe visitante, o técnico Vagner Benazzi se desentendeu com o lateral-direito Marco Aurélio à beira do gramado, enquanto a torcida do Vitória fazia festa nas arquibancadas do Canindé. Em campo, as equipes faziam jus à cena. Diante de um adversário ofensivo, a Portuguesa não esboçava reação.

Durou pouco, então, para o Vitória ampliar. Aos 16, três minutos depois de Patrício salvar um chute de Marquinhos na pequena área, o jogador do time baiano fez assistência precisa para Ramon, na meia-lua. O veterano avançou entre a zaga e completou para o gol, na saída de André Luís: 2 a 0.

O goleiro da Portuguesa começou a se destacar. Entusiasmado com a vantagem, o Vitória acuou a equipe da casa, principalmente através de jogadas de bola parada e chutes de longa distância. A impressão era que o jogo terminaria com goleada, porém os baianos diminuíram o ritmo no final da primeira etapa.

Vagner Benazzi entrou em ação no intervalo, com duas mudanças na Portuguesa. Rogério e Carlos Alberto substituíram Washington e Dias. A equipe melhorou, mas não o suficiente para satisfazer seu treinador. Aos 7 minutos, ele queimou a última alteração, colocando Sandro no lugar de Bruno Recife.

O que reanimou a Portuguesa, no entanto, foi a expulsão de Marco Aurélio aos 16. O lateral-direito tocou a bola com a mão após cobrança de falta de Ramon e, por já ter recebido cartão amarelo, ganhou o vermelho. Com um jogador a menos, Vagner Mancini trocou Dinei e Ramon por Rodrigão e Ricardinho.

A Portuguesa só conseguiu descontar aos 30 minutos. Patrício enfiou a bola para Vaguinho, que, em posição duvidosa, acertou um belo chute no ângulo. O time da casa pressionou bastante, avançando até mesmo os seus zagueiros, mas não conseguiu o empate. O Vitória administrou o resultado positivo até o apito final.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo