iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

05/07 - 20:38

Santos perde do Atlético PR e chega ao sétimo jogo sem vencer
O Santos voltou a perder no Campeonato Brasileiro, desta vez para o Atlético PR, neste sábado, na Arena da Baixada. Com o tropeço por 1 a 0, o Peixe já acumula sete jogos sem vencer.

Gazeta Esportiva

Com o resultado, o time do técnico Cuca permanece na zona do rebaixamento do Nacional. O Furacão, por sua vez, quebrou uma série de três partidas sem derrotar um adversário na competição. O único gol da partida foi marcado por Alan Bahia, de cabeça, depois de excelente cruzamento de Nei.

Com os três pontos somados, o Atlético PR chegou aos 12 e deu um salto na tabela da 12ª para a oitava colocação, mas de forma provisória, devido ao complemento da rodada que acontecerá neste domingo.

Já o Santos fica com os mesmos seis pontos e, dependendo dos resultados de domingo, poderá terminar a rodada na lanterna. As equipes voltam a campo na próxima quarta-feira, quando o Santos recebe o Grêmio, na Vila Belmiro, e o Atlético visitará o Fluminense, no Maracanã.

O jogo: Em queda livre no Brasileirão, Atlético-PR e Santos entraram em campo pressionados e com a obrigação de vencer. O Furacão por estar há três partidas sem vitórias (dois empates e uma derrota), e o Peixe por não vencer há seis jogos (três empates e três derrotas).

Sem poder contar com o meia Robinho, que tem uma lesão muscular na coxa e nem viajou para Curitiba, o técnico Cuca escalou Wesley, que recebeu a responsabilidade de armar as jogadas. No ataque, a novidade foi a entrada jovem Tiago Luís, de 19 anos, que não atuava como titular desde fevereiro. Lima, então, voltou ao banco de reservas. O esquema escolhido por Cuca foi o 3-5-2, com Domingos, Marcelo e Fabão no tripé de zagueiros.

No Furacão, o técnico Roberto Fernandes não pôde contar com o volante Valencia, suspenso, e Rodolfo ficou com a vaga. Desta forma, o time atuou no 3-5-2. Apesar de treinar durante a semana com Pedro Oldoni ao lado de Marcelo Ramos, o treinador mudou de idéia e colocou Irênio no meio-de-campo e Ferreira no ataque. Oldoni nem ficou no banco de reservas. A principal novidade, porém, ficou por conta da estréia do paraguaio Júlio dos Santos, no lugar de Netinho vetado com dores musculares.

O Atlético começou a partida colocando pressão sobre o Santos, que não tinha objetividade. O Furacão fez jus ao nome e logo no início teve seu primeiro perigo de gol. Em contra-ataque, Domingos falhou, e Ferreira soltou a bomba para defesa espetacular de Fábio Costa, que espalmou para linha de fundo.

A resposta veio com Wesley, pela esquerda. O jovem recebeu passe na entrada da área e chutou rasteiro para defesa de Galatto. Aos 27 minutos, Kleber lançou na área para Adodi, que disputou a jogada com Antônio Carlos. A bola espirrou, subiu e quase caiu dentro do gol. A partida começava esquentar e ganhar emoção.

No lance seguinte, Marcelo Ramos por pouco não abriu o marcador. O atacante recebeu passe, ganhou na corrida de Fabão e ficou na cara de Fábio Costa, que salvou o Peixe.

Neste instante, o jogo era lá e cá. O Santos armava as jogadas pela direita, com o lateral Apodi municiando os atacantes. Com isso, a retaguarda ficava aberta e o Atlético aproveitava a subida do lateral santista para tentar abrir o marcador.

Aos 34, Kléber Pereira, pela meia-direita, soltou um torpedo de esquerda, mas Galatto jogou para a linha de fundo. Na cobrança do escanteio, a defesa afastou e Kléber cruzou, Marcelo escorou de cabeça na trave do Furacão, e a bola ainda voltou caprichosamente nas mãos de Galatto.

Com 38 minutos, o último bom lance do primeiro tempo. O ala Apodi desceu na lateral direita com perigo e bateu firme, mas na rede pelo lado de fora. Na saída para o intervalo, o lateral-esquerdo Kleber explicou o motivo de o gol não ter acontecido: “Estamos presos na marcação e, quando a gente joga a bola na área, não está dando certo, porque os atacantes Wesley e Tiago Luis são baixinhos”, analisou.

Para o segundo tempo, Cuca preferiu não mexer na equipe. Já Roberto Fernandes colocou Leandro Fahel no lugar de Irênio. Com apenas um minuto, Alan Bahia soltou um pancada da intermediária, no travessão superior do Santos. Aos 8, após cobrança de escanteio pela esquerda, Rodolfo cabeceou mascado pela linha de fundo.

O Santos não reagia dentro de campo, então Cuca, decidiu mudar na meia, sacando Wesley para a entrada de Maykon. No lance seguinte, Rodrigo Souto se machucou e o treinador santista foi obrigado a queimar a segunda alteração. Adoniram ficou com a vaga.

Aos 19 minutos, Fábio Costa, em noite inspirada, faz uma defesa cinematográfica na boa cabeçada de Alan Bahia, depois de excelente cruzamento do paraguaio Júlio dos Santos.

Em busca do gol da vitória o que não acontece há seis jogos, com 20 minutos, Cuca abriu mão dos três zagueiros, e colocou o colombiano Molina no lugar de Domingos.

Aos 24, Maykon chutou de fora da área, Kléber Pereira desviou no meio do caminho de cabeça e Galatto no reflexo mandou para a linha de fundo.

O técnico do furacão foi para o tudo ou nada e fez a terceira modificação aos 29 minutos. Saiu o estreante Júlio dos Santos para a entrada de Wallyson.

Aos 33, jogada pela esquerda de Nei, que jogou para dentro da área na medida para Alan Bahia que se antecipou a zaga santista e de cabeça marcou no meio do gol de Fábio Costa. A torcida Atleticana vai a loucura, pode ser o fim do jejum de três partidas sem vitórias.

O santos quase empatou a seguir, com Tiago Luis que aproveitou o rebote do chute de Molina, mas Galatto pegou em dois tempos. No último lance do jogo, novamente Tiago Luis, agora de de cabeça, levou perigo, Galatto mandou para escanteio.

O atlético PR passou a administrar o resultado e jogar no contra-ataque. Termina a partida aos 49, e o Santos continua sem vencer sob o comando de Cuca. O Atlético PR volta a vencer após três jogos.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo