iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

02/07 - 09:22

Luxa é aposta palmeirense para “sobreviver” após janela européia
Nessa segunda-feira, foi aberto o mercado europeu para contratação de jogadores. Momento de lucro para dirigentes e apreensão para torcedores, temerosos por ver seus craques irem embora.

Gazeta Esportiva

Este sentimento, no entanto, não atinge o Palmeiras. Não que o clube descarte negociar mais alguém além de Henrique, já acertado com o Barcelona. Mas tanto a cúpula quanto o elenco apostam em um dos responsáveis pela reposição: Wanderley Luxemburgo.

Ativo na política de contratação da equipe, o técnico é elogiado por chefes e comandados por sua capacidade de escolher reforços. Até o momento, nove já desembarcaram no Palestra Itália após o título paulista, número que já faz com que Luxa considere o time pronto para se manter forte quando a janela fechar, em 31 de agosto. Opinião compartilhada por outros no Verdão.

“Para ser sincero, tendo o Wanderley como treinador, provavelmente vamos sair ganhando e ficar mais fortes, porque ele tem experiência com isso e normalmente consegue acertar nas contratações”, analisa Denílson, que vê os dirigentes também se dizerem preparados para as conseqüência do assédio europeu.

“Existe um plano para isso e temos que ter uma agilidade muito grande principalmente nessa janela. E é importante que os jogadores deixem de pensar nisso e se concentrem na partidas. Nós exigimos isso e Wanderley também exige”, pede o gerente de futebol Toninho Cecílio, preocupado para que as especulações, que tendem a aumentar, não afetem o rendimento dentro de campo.

E dentro dos boatos que devem crescer, o principal alvo é Valdívia. Eleito melhor jogador do Paulista, o chileno tem seu nome comentado por muitos clubes europeus, como Benfica e Valencia. O último a postular como candidato ao futebol do camisa 10 foi o Hertha Berlim – a imprensa alemã diz que a equipe está disposta a pagar até oito milhões de euros (cerca de R$ 20 milhões) pelo Mago. E a saída do ídolo é dada como certa até entre os jogadores.

“É ruim perder jogadores de qualidade. Provavelmente o Valdívia, nossa maior estrela, deve sair. Isso é ruim para o Brasil, se tratando do grande jogador que é o Valdívia, mas se ele sair alguém com qualidade vai vir”, minimiza Denílson, hoje substituto direto do astro alviverde e que, nas últimas semanas, ganhou Evandro e Maicosuel como concorrentes à posição.

E a dupla de meias recém-contratados é a prova da diretoria de que o time está preparado para novos desfalques. “Temos que ter muita atenção ao mercado e ter em mente os atletas que podem substituir quem sair. Tentamos agir com rapidez. Não é tão fácil trazer jogadores à altura, mas nossa obrigação junto com o treinador é sempre conversar sobres possíveis saídas e quem poderíamos trazer com características semelhantes para a equipe não perder a base de jogo”, recomenda Toninho.

Porém, se não der para se reforçar com alguém semelhante, a cartilha do gerente de futebol ensina que o plantel pode ganhar de outras maneiras com jogadores novos. “Temos que estar atentos em fazer as substituições com agilidade e consciência. Nem sempre é possível trazer alguém idêntico ao que saiu, mas de repente podem trazer outras características”, aponta Toninho.

À espera do Dínamo – Enquanto se fala em saídas, o Palmeiras está próximo de acertar uma permanência. O clube já enviou proposta para o Dínamo de Kiev e está disposto a pagar R$ 600 mil para prorrogar o empréstimo de Kléber até 31 de dezembro – o vínculo atual termina em 31 de julho.

“Já comuniquei ao Dínamo a nossa intenção de renovar pelo mesmo valor do primeiro empréstimo, e o salário do Kléber será o mesmo. Não teremos grandes dificuldades. A renovação é quase que automática e só falta a resposta do Dínamo, que devem mandar a confirmação até esta quarta-feira”, prevê Toninho Cecílio.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo