iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

02/07 - 09:17

Dirigente do Galo diz que ninguém lhe ofereceu Ratinho
No treino desta terça-feira, Coelho sequer apareceu ao centro de treinamentos do Atlético-MG. O Corinthians recebeu uma proposta do Bologna pelo lateral, que está fazendo o seu acerto com o clube italiano.

Gazeta Esportiva

Como o jogador estava em Belo Horizonte por empréstimo e havia uma cláusula prevendo a liberação em caso de proposta do exterior, o Galo nada pôde fazer.

O diretor de futebol do Atlético-MG, no entanto, não confirmou a informação de que Eduardo Ratinho estaria sendo oferecido pelo clube paulista para a posição. “Para mim não foi oferecido este nome. Oficialmente, a gente recebeu um fax do Corinthians assinado pelo Andrés Sanchez, presidente daquele clube, solicitando a liberação do jogador conforme cláusula contratual, e não foi me falado sobre o Ratinho”, afirmou Alexandre Faria.

Coelho não entrou em campo contra o Figueirense no domingo alegando dores musculares, quando já se falava nesta negociação. Com a confirmação do acordo, surgiram suspeitas de que o jogador estivesse se poupando para o futuro clube. O dirigente atleticano, no entanto, foi enfático ao defender o jogador.

“Eu acho que é um desrespeito com o atleta, com o Atlético-MG e com o departamento médico do Atlético-MG falar este tipo de coisa”, rebateu Alexandre Faria. “Não existe isto, nós estamos tratando de futebol profissional. Nós não estamos aqui para brincar, o jogador não jogou porque não apresentou condições físicas e ponto final”, arrebatou.

Outro atleta da mesma posição que não pode atuar no próximo jogo é Amaral. Ele está emprestado pelo Palmeiras, adversário de domingo, e o clube paulista não permite que o atleta jogue esta partida. A diretoria alvinegra, no entanto, promete tentar a negociar esta questão.

“Eu solicitei formalmente ao Palmeiras na segunda-feira o pedido desta liberação. A diretoria do Palmeiras, por meio do Gilberto Cipullo ficou de avaliar e me dar uma resposta”, anunciou Faria. No entanto, ele reconhece que será difícil. “É uma cláusula contratual. O Palmeiras nos emprestou o atleta sem ônus e ainda paga dois terços do salário. É difícil, mas a gente está tentando”.

Ao contrário de outras vezes em que deu entrevistas coletivas, o diretor de futebol não quis falar sobre possíveis contratações. “Volto a dizer que acredito no grupo do Atlético-MG. O jogo contra o Palmeiras é importante e não é hora de falar em reforços”, concluiu.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo