iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

02/07 - 22:12

Andrés culpa “situação caótica” por perder lucro de Jô
O presidente Andrés Sanchez esclareceu à Timão TV , em entrevista concedida nesta terça-feira, os motivos que levaram o Corinthians a deixar de ganhar R$ 5,7 milhões referentes à ida de Jô do CSKA, da Rússia, ao Manchester City, da Inglaterra.

Gazeta Esportiva

Um mês antes da transferência, o clube paulista vendeu os 10% à que tinha direito na negociação ao empresário Giuliano Bertolucci.

“Quando vendemos o Jô para o CSKA, acertamos que 10% dos direitos econômicos ficariam com o Corinthians. Estamos em uma situação financeira caótica, precisando de dinheiro para pagar as contas de anteontem. Por isso, saí oferecendo os 10% do Jô. Sabia de rumores que ele poderia ser vendido, mas ninguém tinha certeza de que o negócio seria fechado”, explicou Sanchez.

Na internet, torcedores do Corinthians já organizaram movimento para, entre outros, questionar a administração do clube pela perda do lucro de Jô (a direção omitiu quanto recebeu de Bertolucci pelos 10% dos direitos federativos do atacante). “Já vi jogador sair do Brasil vendido e ter que voltar porque não houve negócio. É importante também todo mundo saber que o Manchester City não era obrigado a comprar os 100% do Jô. Poderíamos continuar com os 10%. Ou seja, sem dinheiro”, defendeu-se o presidente.

Sanchez também minimizou o fato de Giuliano Bertolucci ser bem relacionado com representantes da MSI, antiga parceira do Corinthians. “Fiquei sabendo pela imprensa que o Pini Zahavi participou da negociação do CSKA com o Manchester City. Sabia que o Giuliano Bertolucci tinha boa relação com esse pessoal, mas não tenho bola de cristal para adivinhar que ele [Pini] realmente estaria envolvido”, comentou.

Na entrevista, o presidente do Corinthians ainda negou a existência de uma proposta do Werder Bremen, da Alemanha, pelo lateral-esquerdo André Santos. “Mas, se tiver uma oficial e irrecusável, vamos estudar”, avisou. E explicou o empréstimo de Coelho, que estava no Atlético-MG, ao Bologna, da Itália, por cerca de R$ 507 mil. “O Coelho tem contrato com o Corinthians até o meio de 2009. Poderíamos perdê-lo de graça em janeiro, porque ele pode assinar pré-contrato com qualquer clube. Apareceu essa proposta e achamos melhor emprestá-lo”, concluiu Andrés Sanchez.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo