iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

02/07 - 16:53

Alex Mineiro defende paradinha e parabeniza pupilo no Furacão
Na última rodada, o palmeirense Alex Mineiro, o gremista Roger e o rubro-negro Alan Bahia chamaram atenção ao cobrarem seus pênaltis com a paradinha, liquidando os goleiros de Náutico, Internacional e Coritiba, respectivamente. A utilização da jogada virou discussão e houve quem se colocasse contra.

Gazeta Esportiva

Apontado como o “melhor” no quesito, Alex Mineiro defendeu sua obra.

O artilheiro do Campeonato Brasileiro relembrou que a estratégia não é sempre impossível para os goleiros – na decisão da Copa dos Campeões, Cristiano Ronaldo viu sua cobrança parar nas mão de Cech, do Chelsea, mesmo parando antes de bater.

“Se o goleiro pára, dificulta bastante. E não está escrito que a paradinha é proibida, e nem que isso torna a vida do goleiro mais difícil. Eles podem se movimentar na linha do gol e isso dificulta para quem bate. O atacante precisa utilizar todos os recursos necessários para fazer o gol sempre”, argumentou. “O goleiro que tem que fazer de tudo para a bola não entrar, não se pode tirar um recurso que favorece o time que fez o pênalti”, continuou.

Defesa feita, Alex Mineiro agora colhe os frutos de sua maneira de converter penalidades. O ex-companheiro de Atlético Paranaense Alan Bahia já reforçou o coro de que o 9 alviverde é quem melhor sabe usar a paradinha. O meio-campista do Furacão, contudo, também usou do recurso no domingo. Ensinamento do goleador do Verdão.

“Eu que ensinei o Alan Bahia a usar a paradinha. A gente treinava muito isso no Atlético Paranaense no ano passado e fiquei feliz com o sucesso dele com isso lá. Em Curitiba, ele tem sido meu sucessor”, apontou.

Sem favorecimento – Em meio às explicações para a paradinha, Alex Mineiro negou veemente que o Palmeiras tem sido beneficiado pela arbitragem por ter tido muitos pênaltis a seu favor neste Campeonato Brasileiro.

“O Palmeiras não tem culpa de fazer muitos gols de pênalti. Se forem pesquisar, a maioria foi marcado corretamente. É mérito do Palmeiras, pois somos extremamente ofensivos, criamos muitas jogadas e isso faz com que as penalidades aconteçam com maior facilidade”, explicou.

O centroavante concordou até mesmo com a controversa marcação da penalidade contra o Náutico, que converteu para abrir a vitória por 2 a 0 nesse domingo. “Foi pênalti. O Elder foi puxado fora da área e quando entrou foi empurrado e tocado embaixo”, decretou.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo