iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

27/06 - 10:38

Hiddink lamenta eliminação, mas valoriza experiência
Depois de levar a Coréia do Sul à semifinal da Copa do Mundo de 2002 e a Austrália às oitavas-de-final do Mundial de 2006, o holandês Guus Hiddink conseguiu outro feito na Eurocopa 2008

Gazeta Esportiva

Ele deixou a Rússia entre os quatro primeiros do continente, com direito à vitória sobre a então favorita Holanda nas quartas.

Nesta quinta-feira, porém, o sonho de ir à final acabou com a derrota por 3 a 0 para a Espanha.

Após a semi disputada em Viena, o experiente treinador lamentou o revés dos russos, mas mostrou-se satisfeito com a campanha. “Estamos desiludidos, mas, quando estivermos mais calmos, vamos constatar que estamos muito orgulhosos, não só pelos resultados que conseguimos, mas também pela forma como a equipe jogou nesta competição”, previu o treinador, valorizando a experiência obita pelo seu grupo no torneio continental.

'Depois da forma como jogamos neste torneio, estou confiante em relação ao futuro desta equipe. Mas agora vamos descansar um pouco para depois nos concentrarmos na fase de qualificação para o Mundial de 2010, que começa em setembro, num grupo que se afigura difícil e do qual faz parte a Alemanha', projetou o técnico. Finlândia, País de Gales, Azerbaijão e Liechtenstein completam a chave.

“A primeira preocupação é que os jogadores têm de descansar um pouco, já que o Campeonato Russo está prestes a recomeçar. A equipe pode retirar lições importantes desta Eurocopa que devem ser benéficas durante as Eliminatórias”, completou Hiddink, que crê que a inexperiência dos russos pesou no duelo desta quinta-feira contra os espanhóis.

“As grandes equipes sabem quando devem fazer uso da sua experiência, e quanto mais um jogo se prolonga, mais elas sabem que têm melhores qualidades. Observei isso quando orientei a Coreia do Sul, e aconteceu o mesmo agora com a Rússia”, revelou.

“Se conseguirmos manter o resultado em 0 a 0, está tudo bem, mas se sofremos um gol e não chegamos ao empate nos dez ou 15 minutos seguintes, a equipe precisa ter uma atitude mais aberta e ofensiva, o que torna as coisas ainda mais difíceis frente a um adversário mais experiente', concluiu Hiddink.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo