iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

25/06 - 14:05

Rússia e Espanha se reencontram nas semifinais da Eurocopa
Rússia e Espanha se - reencontram nesta Eurocopa amanhã no estádio Ernst Happel de Viena, às 15h45 de Brasília, em partida que vale vaga na final da competição e não deve lembrar o encontro pelo grupo D, que terminou com goleada espanhola por 4 a 1

EFE

A vitória sobre a Itália, nos pênaltis, aumentou a confiança dos espanhóis, que chegam às semifinais de um grande torneio internacional pela primeira vez desde a Eurocopa de 1984, quando eliminaram a Dinamarca nos pênaltis antes de perderem a final para a França.

A confiança é compartilhada pelo Presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, que previu hoje que a Espanha vencerá a Rússia por 3 a 1.

O goleiro Iker Casillas foi o destaque contra os italianos, com defesas cruciais ao longo do jogo, além de duas cobranças na disputa de pênaltis, e atingiu status de herói nacional.

Na partida desta quinta-feira, o capitão da Espanha fará sua 81ª partida pela seleção, igualando a marca do ex-lateral José Antonio Camacho como o quarto jogador com mais participações pela equipe, atrás do ex-goleiro Andoni Zubizarreta (126 jogos), o atacante Raúl (102) e o ex-zagueiro Fernando Hierro (89).

O jogo também é especial para o técnico Luis Aragonés, anunciado hoje como substituto do brasileiro Zico no comando do Fenerbahçe. Em seu lugar, entrará o ex-técnico do Real Madrid Vicente Del Bosque.

No entanto, Aragonés não quer se despedir da seleção contra os russos e pretende levar a Espanha à final da Eurocopa. Para isso, a grande preocupação é a parte física, tanto pelo desgaste da partida contra a Itália quanto pelo melhor preparo dos russos, que estão no meio da temporada.

O volante brasileiro naturalizado espanhol Marcos Senna chegou a ser dúvida, mas Aragonés escalará todos os titulares contra a Rússia.

Os russos, comandados pelo holandês Guus Hiddink, também passam por um grande momento. Após superar a primeira fase de uma competição internacional pela primeira vez desde o fim da antiga União Soviética, a seleção quer voltar a ser uma força no continente.

Para isso, além do comando de Hiddink, os russos contam com o talento do meia-atacante Andrei Arshavin, cujo futebol vem encantando os torcedores. O jogador é um dos vários atletas da seleção que atuam no Zenit de São Petersburgo, que conquistou a Copa da Uefa na última temporada e forma a base da equipe.

Arshavin cumpriu suspensão nas duas primeiras partidas da Rússia na Eurocopa, e não esteve em campo na goleada sofrida por sua seleção na estréia contra os mesmos espanhóis. Agora, com ele, a confiança dos russos também aumenta.

"Nossa equipe é muito melhor agora, estamos nas semifinais e isso é muito importante para nós e para o país. Se jogarmos bem, nenhuma equipe me preocupa", diz o meia Sergei Semak, capitão da Rússia.

No entanto, os russos têm desfalques. O zagueiro Denis Kolodin e o meia Dmitri Torbinski - autor do segundo gol na vitória de 3 a 1, na prorrogação, sobre a Holanda nas quartas-de-final - estão suspensos. Além deles, o meia-atacante Ivan Saenko é dúvida.

Quando faziam parte da antiga União Soviética, os russos chegaram a cinco semifinais da Eurocopa, mas o único título veio exatamente na primeira edição do torneio, em 1960.

A previsão do tempo para o dia da partida é de céu encoberto com temperaturas de 24 a 27 graus, mas uma possibilidade de chuva de 20%.

Prováveis escalações:

Espanha: Casillas; Sergio Ramos, Puyol, Marchena e Capdevila; Marcos Senna, Iniesta, Xavi, David Silva; Villa e Fernando Torres. Técnico: Luis Aragonés.

Rússia: Akinfeev; Anyukov, Ignashevich, Shirokov, Zhirkov; Zyrianov, Semak, Semshov e Bilyaletdinov; Arshavin e Pavlyuchenko. Técnico: Guus Hiddink.

Árbitro: Frank De Bleeckere (BEL), auxiliado por seus compatriotas Peter Hermans e Alex Verstraeten. EFE rmm/ev/dp


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo