iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

24/06 - 15:43

Torcida protesta em treinamento do Corinthians
Bastou um empate com a Ponte Preta para o ambiente de trabalho do Corinthians voltar a ser tumultuado. Com faixas, cartazes e gritos, dezesseis torcedores com adereços da principal torcida organizada do clube protestam em treinamento comandado por Mano Menezes, na tarde desta terça-feira.

Gazeta Esportiva

Nas arquibancadas do Parque São Jorge, os manifestantes exigem posicionamentos de dirigentes e jogadores. O zagueiro Fábio Ferreira, que substituiu William contra a Ponte Preta, é o mais cobrado. Em 2007, durante a campanha que rebaixou o Corinthians à Série B do Campeonato Brasileiro, ele e o ex-companheiro Zelão foram acusados por uma vizinha de promoverem festas em seu apartamento.

“Cachaça + balada = derrota”, explica a somatória de uma das cartolinas levantadas por um torcedor. No coro, eles são mais específicos: “Não é mole, não! Tem cachaceiro jogando no Timão! Fábio Ferreira!”. Com menos entusiasmo, alguns protestantes gritam o nome do goleiro Felipe, afastado pelo técnico Mano Menezes desde a derrota na final da Copa do Brasil, ao completar o verso com “pipoqueiro”.

Promessa do clube que ainda não vingou, o meia Lulinha novamente também não escapou das críticas. “Vamos jogar bola, Lulinha!”, berram os torcedores. No início do ano, o prata-da-casa já viu seu nome pichado pela torcida, em protesto, nos muros do Parque São Jorge. E quase foi agredido depois que o Corinthians perdeu para o Sport.

“Obrigado pela decepção”, está escrito em um dos cartazes, em referência à perda do título da Copa do Brasil. “Queremos mais respeito”, acrescenta outro. O coro dos torcedores já é tradicional em momentos de crise: “Não é mole, não! Tem que ser homem pra jogar no Coringão!”.

A reclamação aos dirigentes também é antiga, reservada às faixas que a torcida ostenta nas arquibancadas da Fazendinha. Pedem a exclusão do ex-presidente Alberto Dualib e de seu então vice Nesi Curi do clube: “Dualib + Nesi: eliminação já”, “A Fiel não agüenta mais traição”, “Lutai por nós”. O Conselho de Orientação e Fiscalização (Cori) do Corinthians deverá abordar o assunto em reunião na noite desta terça-feira.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo