iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

24/06 - 18:31

Dirigente responsabiliza diretoria por má fase e crê em reação
No dia em que o Figueirense anunciou a demissão de Guilherme Macuglia e a chegada de PC Gusmão, o superintendente da Figueirense Participações, Rodrigo Prisco Paraíso, colocou a responsabilidade pelo mal momento da equipe diretamente na diretoria. Após sete rodadas, o time é 14° colocado no Brasileirão, com oito pontos.

Gazeta Esportiva

“A responsabilidade é sempre de quem está no topo da pirâmide, ou seja, da direção. Já tínhamos feito isso com o Gallo, por discordar da proposta dele. Este grupo já está há dez anos à frente do Figueirense, tem uma série de conquistas dentro e fora de campo, então preferimos apostar na nossa filosofia”, disse o dirigente ao ClicRbs.

Prisco ainda comentou a demissão de Macuglia do cargo, decretada no início da tarde desta terça-feira, quando o profissional se reuniu com a diretoria e fez um balanço de sua atuação frente ao Urubu: cinco jogos, com uma vitória, um empate e três derrotas.

“O Guilherme nos procurou no início da tarde. Ele ponderou sobre os jogos à frente do Figueirense, comentou sobre as dificuldades e, pelo seu histórico, resolveu abrir espaço para outro profissional”, contou Rodrigo Prisco Paraíso. O superintendente da Figueirense Participações ainda disse acreditar em uma reação com a chegada do novo treinador.

“Com a chegada do PC Gusmão, a equipe pode ter o seu retorno aos bons resultados. Mas ainda é muito cedo, tivemos inícios difíceis em outros anos, como em 2002 e 2003. É muito cedo ainda. Estes dois meses de jogos às quartas e domingos é que vão definir o pelotão de cima e quem vai ficar para trás”, concluiu o dirigente.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo