iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

23/06 - 16:09

Adilson Batista acha cedo para falar em favoritos
O bom início no Campeonato Brasileiro atrai a atenção de todo o país em direção ao Cruzeiro. Com cinco vitórias em sete partidas, a Raposa divide a liderança da competição com Grêmio e Flamengo.

Gazeta Esportiva

Os três têm a mesma pontuação, mas a equipe mineira leva desvantagem no saldo de gols. Nesta segunda-feira, o comandante celeste Adilson Batista foi convidado pelo programa Arena Sportv para falar sobre as chances de seu time na competição.

Para o treinador, ainda é cedo para ser taxativo em relação aos candidatos ao título. Ele acredita que os meses de julho e agosto serão determinantes na disputa. Com o término da Libertadores, este período terá jogos também nos meios de semana, totalizando quinze rodadas. Além disto, é o período das transferências para a Europa, o que sempre preocupa o torcedor do Cruzeiro.

“(O Cruzeiro) É um clube que vende. Nós temos alguns jogadores que o pessoal está observando. Cabe à presidência tomar a decisão certa. Nós gostaríamos de terminar com este mesmo grupo, mas a gente sabe que, no futebol, às vezes surge uma oportunidade que o clube não pode deixar de vender determinados atletas”, admitiu Adilson Batista. Guilherme, Wagner, Ramires, Charles e Thiago Heleno são os mais cotados para sair.

O técnico analisou ainda alguns dos adversários diretos. “Tem o lado de quem teve um tempo maior para se preparar, que é o caso do Grêmio. O Celso (Roth) é um bom treinador, tem bons jogadores, vem jogando bem. A equipe pode se mobilizar juntamente com a torcida”, considerou. Adilson Batista conhece bem o Olímpico, pois lá levantou a Copa Libertadores pelo Tricolor em 1995, como jogador.

Outro que recebeu elogios foi o Flamengo. “Um belo time, bem treinado pelo Caio (Júnior). Tem jogadores rápidos, é de uma escola bonita. Toca bem a bola, sai rápido, é uma equipe competitiva”, ressaltou.

No entanto, Adilson Batista vê ainda outros clubes em condição de chegar entre os líderes. “Ainda é o início. Algumas equipes vão melhorar. É o caso do Internacional, o Palmeiras vai crescer, o São Paulo. Nós precisamos ter cuidado e fazer o nosso trabalho aqui para que a gente consiga os objetivos”, alertou.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo