iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

22/06 - 11:50

Para não ser chamado de “chorão”, Mano evita criticar árbitro
Mano Menezes esgotou as reclamações ao árbitro Phillipe Lombard no decorrer do empate entre Ponte Preta e Corinthians, sábado, no estádio Moisés Lucarelli. Após a partida, o técnico evitou fazer críticas públicas

Gazeta Esportiva

O receio de Mano se deve à reação gerada por seus protestos contra a arbitragem da Copa do Brasil. O técnico chegou a afirmar que o Corinthians sofria as conseqüências de uma declaração do ex-presidente Alberto Dualib, para quem a equipe foi beneficiada para ser campeã brasileira em 2005.

“Sempre que a gente comenta a arbitragem dizem que somos chorões. Então, não vou falar nada agora. Senão, alguém vai achar que estou arrumando uma desculpa para o fato de não termos vencido pela primeira vez na Série B. Há um monte de analistas de arbitragem por aí. Deixo para eles analisarem”, esquivou-se o escaldado Mano Menezes.

A postura não impediu que o técnico fosse irônico. O árbitro Phillipe Lombard mostrou o cartão amarelo para oito jogadores do Corinthians contra a Ponte Preta: Fábio Ferreira, Chicão, Eduardo Ramos, Herrera, André Santos, Douglas, Carlão e Júlio César. “Nossa equipe era a mais disciplinada, o que não pode acontecer com o Corinthians. Ele tinha que emparelhar”, disse Mano.

O goleiro Júlio César foi um dos corintianos que contestaram a punição recebida no sábado. “Alguns cartões até tudo bem, mas o meu não tinha motivo”, chiou.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo