iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

21/06 - 09:38

Pequim pode ser a grande chance de Ronaldinho Gaúcho
A péssima atuação da seleção contra a Venezuela, em jogo amistoso, e diante de Paraguai e Argentina, pelas Eliminatórias Sul-Americanas, não poderia ter ocorrido em melhor momento para Ronaldinho Gaúcho

Agência Estado

O craque, recém-dispensado do Barcelona, ganhou a chance de salvar o ano - certamente o pior de sua carreira - com a convocação para Pequim.

A equipe comandada por Dunga tem séria carência no setor de armação. Faltam grandes meias, que possam fazer a diferença. Ronaldinho, mesmo fora de forma e em baixa, seria importante reforço na China para a busca da inédita medalha de ouro. A opinião é do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira.

O movimento pró-Ronaldinho começou já no domingo - antes mesmo do fiasco contra o Paraguai -, quando Teixeira chamou Dunga para uma conversa sobre o tema. Na quarta-feira, chegou à conclusão de que não poderia abrir mão do atleta e disse isso ao treinador.

Dunga não estava nada inclinado a levar o meia-atacante para Pequim. Mas terá de aceitá-lo. Ontem, em entrevista ao site Terra, o treinador negou que a convocação do craque se trata de imposição da CBF. “Essa idéia vem amadurecendo na comissão técnica há três meses”, garantiu.

De melhor do mundo em 2004 e 2005, e jogador mais badalado da seleção em 2006, Ronaldinho começou a cair. O nível de seu futebol despencou e as especulações de que as noitadas e as mulheres passaram a ser prioridades em sua vida aumentaram em 2007 e 2008. Neste ano, entrou em poucas partidas pelo Barça - por motivo de contusão, diz o craque - e foi criticado pela torcida e pela imprensa espanhola. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo