iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

19/06 - 18:31

Elias espera pior recepção possível da torcida da Ponte Preta
O meia Elias está preparado para ser vaiado neste sábado, no estádio Moisés Lucarelli, na partida entre Corinthians e Ponte Preta. Ele tem certeza de que os torcedores não o perdoarão por ter trocado o clube de Campinas pelo da capital após o Campeonato Paulista.

Gazeta Esportiva

“A recepção vai ser pior possível. Quando eu estava na Ponte Preta, alguns ex-jogadores do time nos enfrentaram, e a torcida foi bem desagradável com eles. Já estou pronto para isso. O negócio é jogar futebol e esquecer o que está acontecendo fora de campo”, receitou Elias.

O meia, que pregou profissionalismo ao se recusar a beijar o escudo do Corinthians em sua apresentação, espera calar o Moisés Lucarelli com seu primeiro gol pelo novo clube. “Quem paga os meus salários é o Corinthians. É muita demagogia o jogador falar que não vai comemorar um gol, uma coisa difícil de acontecer. Tenho mais é que vibrar”, justificou.

Para Elias, os torcedores são justamente o diferencial da Ponte Preta em Campinas. “No Paulista, foram só duas derrotas em casa. A maior dificuldade será mesmo enfrentar a torcida, que apóia o tempo todo. Pela situação do time na tabela, eles ajudarão ainda mais, já que uma vitória sobre nós dá moral”, disse.

Uma das derrotas sofridas pela Ponte no Paulistão foi para o Corinthians, por 1 a 0, em 24 de fevereiro (o Palmeiras, equipe que revelou Elias, ganhou no Moisés Lucarelli pelo mesmo placar). Após ficar com o vice-campeonato estadual, a equipe do interior começou mal a Série B do Campeonato Brasileiro, com seis pontos em seis jogos disputados.

Apesar de participar da melhor fase da Ponte Preta no ano, Elias afirma que não precisa servir de espião para o técnico Mano Menezes. “Vai ser bom jogar com a Ponte, mas não há necessidade de passar muita coisa porque o Mano conhece a maioria dos jogadores deles. Posso até conversar um pouco na concentração, mas o Corinthians já enfrentou a Ponte outras vezes”, argumentou.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo