iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

19/06 - 11:54

Bolívia "ressuscitou" com vitória sobre Paraguai, diz imprensa local
A imprensa esportiva boliviana destacou hoje que sua seleção "ressuscitou" ao derrotar o Paraguai por 4 a 2 em La Paz, pela sexta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2010.

EFE

"O milagre dos operários" é o título da matéria do jornal "La Prensa", que classifica a equipe boliviana de "trabalhadora, lutadora e solidária".

Para o jornal, os paraguaios sentiram a altitude, já que o jogo foi disputado no estádio Hernando Siles, de La Paz, a quase 3.600 metros acima do nível do mar.

"Bolívia aparece e quebra invencibilidade do Paraguai", diz o "La Razón" que destaca ainda que a equipe da casa "deixou incrédulos os próprios torcedores".

Sobre o Paraguai, o jornal afirma que alguns destaques do Paraguai, como Salvador Cabañas e Óscar Cardozo, não tiveram boa atuação.

Já o "El Diário" afirma que a seleção que atuou na quarta-feira foi uma "nova equipe", destacando sua "ambição vencedora e decisão de atacar".

O "El Deber", de Santa Cruz de la Sierra, afirmou que a vitória "indiscutível" dá uma trégua ao técnico Erwin Sánchez, cujo cargo estava ameaçado.

O jornal aponta três pontos-chave para a vitória: os seis jogadores acostumados com a altitude, o desgaste paraguaio após a vitória sobre o Brasil e o aproveitamento pelos bolivianos das falhas do goleiro Aldo Bobadilla, habitual reserva e que substituiu Justo Villar, lesionado.

Já a imprensa paraguaia chamou a vitória boliviana de "inapelável", antes de destacar o ímpeto dos adversários e "uma tarde infeliz" de Bobadilla.

"O invicto fica sem ar" é o título do "Abc Color", que comentou que "este desfecho não era esperado para a partida de quarta-feira entre o líder e o lanterna das Eliminatórias".

O "Ultima Hora" afirmou que "os bolivianos jogaram a partida de suas vidas. A questão era matar ou morrer", e colocou entre os fatores da derrota a má atuação de Bobadilla.

O goleiro, uma das seis alterações feitas na equipe pelo técnico argentino Gerardo Martino em relação à que derrotou o Brasil por 2 a 0 no domingo, "teve sua parcela de contribuição" no terceiro gol boliviano, segundo o jornal.

"Era o momento em que o Paraguai poderia ter reagido, porque perdia por 2 a 1. O gol acabou com as esperanças de empatar", afirmou o jornal.

Já o "La Nación" disse que o desgaste após a partida contra o Brasil e a falta de oxigênio "deixaram os jogadores paraguaios sem idéias e pernas".

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo