iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

18/06 - 13:30

Luxemburgo apóia Dunga e torce por 'chinelada' na Argentina
O técnico Wanderley Luxemburgo conhece bem o momento de pressão pelo qual passa seu colega Dunga na seleção brasileira

Gazeta Esportiva

Nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002, o atual comandante do Palmeiras foi bastante criticado, coincidentemente após um revés para o Paraguai em Assunção, mas conseguiu se recuperar.

Por isso, torce que a história se repita com o capitão do tetra.

“As críticas têm que vir porque a seleção não jogou bem nesses dois últimos jogos. Mas não pode haver falta de respeito com o profissional. O Dunga está vivendo justamente o que eu vivi na seleção. Perdi no Paraguai por 2 a 1 e sofri a mesma pressão. Tem que ter respeito. Uma coisa são críticas, mas outras são posições pejorativas e covardes, de quem apenas se aproveita do momento”, disparou Luxa.

Solidário ao treinador da seleção, o técnico quer ver o Brasil reagindo de forma convincente no clássico contra a Argentina, nesta quarta-feira, no Mineirão. Nas Eliminatórias para o Mundial da Coréia do Sul e do Japão, Luxemburgo conseguiu amenizar a pressão justamente com uma boa vitória sobre o arqui-rival.

“Vou torcer para que o Brasil dê uma chinelada forte na Argentina e possamos sair de lá com quatro, cinco gols. Quero que ganhe com contundência, porque sempre ganhamos assim da Argentina. Perdi do Paraguai, mas no jogo seguinte ganhamos de três da Argentina e caminhamos em busca da classificação à Copa do Mundo”, lembrou o comandante.

Com Dunga ameaçado, o técnico do Palmeiras é um dos mais cotados a substituir o ex-volante no cargo. Luxa, porém, manifestou apoio total ao treinador gaúcho e negou que tenha vontade imediata de reassumir o comando do time nacional.

“Sou parceiro do técnico da seleção brasileira. Todos que estiveram lá eu fui parceiro, tirando o Zagallo, que interpretou errado uma entrevista minha dizendo que eu seria ser o técnico da seleção, mas depois entendeu que eu era um profissional com anseio de crescer, tanto que cheguei à seleção”, recordou Luxa, incluindo, portanto, em sua lista de ''parceiros'' o desafeto Emerson Leão, que o sucedeu na seleção.

“Falam que eu faço lobby. Onde fiz lobby para ir para o Lyon, Fenerbahce, México, Portugal e seleção brasileira? O lobby do Luxa são as conquistas. Torço, sou brasileiro e quero que Brasil ganhe, que o Dunga vá à Copa do Mundo. No dia em que o cargo estiver vago quero ser um dos postulantes, pois tenho capacidade”, encerrou o treinador palmeirense.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo