iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

17/06 - 10:30

Guardiola quer que Barcelona volte a contagiar torcida
O ex-jogador Josep Guardiola, apresentado hoje oficialmente como novo treinador do Barcelona, quer que a equipe volte a contagiar a torcida com uma filosofia de trabalho diário, esforço e compromisso.

EFE

"Sinto que estou preparado e não decepcionarei. Acredito em esforço e talento, e estou cercado de pessoas próximas a mim para assumir este grande desafio até o fim", comentou Guardiola, cuja apresentação foi acompanhada por quase 100 pessoas.

Acompanhado pelo presidente do clube, Joan Laporta, e o diretor esportivo, Aitor Begiristain, o ex-jogador do clube disse saber bem qual rumo tomar para que a equipe volte a vencer.

"Não peço tempo porque sei qual é a situação do clube, mas sei que devo trabalhar rápido e bem para atrair as pessoas", disse Guardiola, segundo treinador a assumir desde o início da Presidência de Laporta.

Segundo o técnico, o Barcelona terá uma filosofia bastante ofensiva, sempre assumindo o controle. "Sou um fã absoluto do jogo de ataque. É simples: quando vejo a bola longe do nosso gol, estou mais tranqüilo", justificou.

Porém, ele afirma que uma postura ofensiva permite que seja possível prestar atenção à defesa. Sua intenção é que os atacantes saibam marcar e os laterais, defender.

Para evitar problemas como os que resultaram na saída do meia-atacante brasileiro Ronaldinho Gaúcho, Deco e do camaronês Samuel Eto'o, descartados por problemas extra-campo, Guardiola defende a comunicação com os jogadores.

"Não tolerarei que alguém fique à frente do grupo. Posso perdoar uma atuação ruim, mas não a falta de esforço porque o clube está acima de tudo. O talento depende da inspiração, mas o esforço é de cada um", comentou.

Ao falar sobre a falta de experiência, Guardiola disse que sua chegada ao banco da equipe principal se deve não apenas por feito boa campanha pelo Barcelona B, mas por seu desempenho como jogador.

Ele também confirmou que treinará com portões fechados antes e depois das partidas, para trabalhar com mais tranqüilidade. "Os jogadores têm de sentir que o treino é parte fundamental para chegar bem à partida, assim fui educado e desta forma trabalharemos", disse.

Embora saiba que o momento do anúncio de sua contratação não tenha sido o ideal, com Rijkaard ainda no comando, Guardiola interpretou como "um dos processos incontroláveis do futebol".

Resignado a cumprir os compromissos de pré-temporada com o clube, especialmente a viagem pelos Estados Unidos no início de agosto, Guardiola explicou que o Barcelona precisa de econômicos para pagar os jogadores.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo