iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

17/06 - 21:01

Com Dunga sob pressão, Brasil pega Argentina em clássico
A seleção brasileira terá um desafio dos mais importantes nesta quarta-feira, quando enfrenta a Argentina pelas Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010. A partida será realizada no Mineirão, em Belo Horizonte, a partir das 21h50 (horário de Brasília), e é de fundamental importância na trajetória do futebol pentacampeão mundial até a África do Sul.

Gazeta Esportiva

A equipe comandada pelo técnico Dunga passa por um péssimo momento. Em seus três últimos compromissos, o time venceu apenas o Canadá em amistoso, e em um sufocante 3 a 2. Depois disso, sofreu uma inédita derrota para a Venezuela para 2 a 0 em novo amistoso e ainda foi batido pelo Paraguai pelo mesmo placar, mas pela competição qualificatória continental.

A derrota frente aos paraguaios isolou a equipe guarani na liderança da tabela sul-americana – agora com 13 pontos, contra oito do Brasil. Além disso, o resultado do final de semana deixou Dunga ainda mais pressionado no comando do Brasil, já que a insatisfação da torcida com o futebol apresentado neste ano é cada vez mais crescente.

No entanto, o treinador demonstra confiança, e aposta na manutenção da base. A defesa, que tem a total confiança de Dunga, deve continuar contando com Júlio César; Maicon, Lúcio, Juan e Gilberto. No meio-campo, o setor de combate continua a cargo do volante Mineiro, que deve ganhar a companhia apenas de Gilberto Silva no setor.

A principal mudança do Brasil para o jogo deve ser a entrada do meia Ânderson na vaga de Josué. Apesar de ter treinado mal na última semana e de ter começado o jogo contra os paraguaios no banco, o ex-gremista entrou na partida do Defensores del Chaco e melhorou a parte criativa da equipe, arriscando chutes de longa distância. Apesar de não ter conseguido evitar a derrota, Ânderson parece ter cativado Dunga e recuperado a vaga ao lado do camisa dez Diego.

No entanto, Gilberto Silva ainda acredita que a disputa pela vaga possa estar aberta. “O Anderson tem maior facilidade para sair para o jogo em relação a mim, ao Josué e ao Mineiro, mas deixo essa escolha nas mãos do Dunga. Independentemente de quem for o escolhido, todos nós teremos que estar prontos para desempenhar nosso papel e vencer esta partida”, garante o volante.

A disputa pelo ataque é a mais aberta da seleção, com quatro nomes brigando por duas vagas. E mesmo passando em branco nos dois últimos jogos, Luís Fabiano e Robinho devem levar vantagem novamente sobre Adriano e Alexandre Pato. No entanto, na briga de ex-são-paulinos, o Imperador começa a incomodar o atacante do Sevilla.

Os rivais - A Argentina, por sua vez, tem dez pontos e é vice-líder das Eliminatórias Sul-americanas – o Brasil caiu uma posição e é o quarto, um ponto à frente de Venezuela e Chile. Os alvicelestes, porém, precisam da vitória para tentar brigar pela primeira colocação da tabela e para esquecer do péssimo resultado do último jogo, já que empataram com o Equador no domingo por 1 a 1, jogando no Monumental de Nuñez e marcando o gol no fim da partida.

Por isso, os hermanos vêem a partida contra o Brasil igualmente com atenção. Nos últimos anos, mesmo em condições adversas, os brasileiros têm levado vantagem nos clássicos, como no amistoso de 2006 em Londres ou na final da Copa América de 2007. Nas duas ocasiões, os brasileiros venceram por 3 a 0.

O técnico Alfio Basile tem comandado treinos secretos para este jogo, mas não consegue esconder que terá algumas dúvidas na escalação do time. As principais ficam no meio-campo, onde Mascherano e Verón sentem dores e podem ceder vagas. O ex-corintiano deve ser mantido entre os titulares, mas uma contratura muscular deve tirar do time o veterano jogador do Estudiantes, possivelmente substituído por Fernando Gago.

Na defesa, Demichelis cumpre suspensão pelo acúmulo de cartões amarelos, e tem seu lugar disputado por Fabricio Coloccini e Gonzalo Rodríguez. A surpresa Jonathan Botinelli, convocado do San Lorenzo para a partida no Brasil, permanece no banco. De resto, o time deve ser o mesmo que sofreu para não perder em casa do Equador no final de semana.

O panorama dos argentinos, no entanto, não tranqüiliza o Brasil, que vê perigo mesmo na escalação de reservas. “Independentemente de quem jogue, eles não perdem tanto a qualidade. De repente, quem entra acaba se superando e dando ainda mais trabalho. Sabemos o quanto é significativo uma vitória sobre a Argentina e temos que fazer bem a nossa função”, disse o volante Gilberto Silva.

O técnico Dunga concordou, e não espera ver os vizinhos se complicando no Mineirão como se complicaram frente aos equatorianos. “Futebol é isso, o Equador foi competente em aproveitar a única oportunidade que teve. A Argentina perdeu inúmeras chances de gol, tem uma grande equipe, e teremos de estar muito atentos, pois os jogos contra o Brasil são diferentes”, disse.

FICHA TÉCNICA
BRASIL X ARGENTINA

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 18 de junho de 2008, quarta-feira
Horário: 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Óscar Ruiz (COL)
Auxiliares: Wilson Berrío (COL) e Rafael Riva (COL)

BRASIL: Júlio César; Maicon, Lúcio, Juan e Gilberto; Gilberto Silva, Mineiro, Ânderson e Diego; Robinho e Luís Fabiano (Adriano)
Técnico: Dunga

ARGENTINA: Abbondanzieri; Burdisso, Coloccini (Gonzalo Rodríguez) e Heinze; Zanetti, Mascherano, Gago (Verón), Maxi Rodríguez e Riquelme; Messi e Agüero
Técnico: Alfio Basile

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo