iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

17/06 - 19:50

CBF arma festança no Mineirão e desagrada ao árbitro
A partida entre Brasil e Argentina vem sendo encarada como um grande evento, até mesmo como uma festa pelos organizadores. A administração do Mineirão, que é do governo de Minas Gerais, trocou o placar e os bancos de reservas, entre outras obras.

Gazeta Esportiva

Já o Governo do Estado planeja homenagear figuras importantes da história do futebol brasileiro.

A CBF, por sua vez, foi mais longe. Sob a tutela de Virgílio Elísio, diretor técnico da instituição, resolveu dar à partida ares ainda mais espetaculares. Para isto, armou um show de música no estádio. Chamou duas bandas belo-horizontinas de muito sucesso no cenário musical do país: Skank e Jota Quest. Para cantar o hino nacional, foi escolhida a baiana Gal Costa.

E o show não pára nisto. Um palco foi montado atrás do ‘gol da cidade’, como é conhecido o gol que fica à direita das cabines de TV e rádio. Uma iluminação paralela à do estádio foi instalada para fazer efeitos de luzes enquanto os músicos tocam. Poderosas caixas de som foram instaladas, voltadas para a platéia, com som alto e claro.

Um dos convidados, porém, resolveu chegar mais cedo e não gostou do que viu. O árbtiro escalado para a partida, o colombiano Oscar Ruiz, vistoriou o estádio nesta terça-feira. Ao perceber o circo que estava se armando, deu ordens bem claras. Os espetáculos musicais terão de terminar uma hora antes da partida para não atrapalhar o aquecimento dos goleiros. Show no intervalo nem pensar. Somente Gal Costa se salvou.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo