iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

15/06 - 18:49

Técnico admite pressão, mas ironiza ameaça de queda
Depois de perder pela primeira vez na história para a Venezuela em um amistoso disputado em Boston e cair diante do Paraguai neste domingo, em jogo válido pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, o técnico Dunga começou a ser pressionado no comando da seleção.

Gazeta Esportiva

O futebol burocrático, longe do padrão a que os brasileiros estão acostumados a ver, apresentado no jogo de Assunção, fez Dunga ouvir manifestações contrárias ao seu trabalho vindas das arquibancadas do Defensores del Chaco.

Nos vestiários, em sua rápida entrevista coletiva, o comandante da seleção nacional minimizou os gritos de “fora Dunga” e ainda ironizou um repórter quando questionado se teme perder o emprego caso sofra nova derrota quarta-feira, no Mineirão, diante da Argentina, pela sexta rodada da competição.

“Resultados negativos na seleção brasileira sempre trazem cobranças e pressões, mas se você me der essa bola mágica aí com o resultado do jogo de quarta-feira contra a Argentina, ficará mais fácil para mim”.

Diante da insistência sobre a possibilidade de vir a ser demitido diante de um novo tropeço na próxima rodada, Dunga permaneceu cético: “A cobrança em cima do treinador da seleção brasileira é constante. Eu tenho é que continuar com o meu trabalho. Ñão há nada mais que possa fazer”, resumiu.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo