iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

11/06 - 00:30

Gallo não se abala com protestos da torcida
Nesta terça-feira, torcedores do Atlético-MG penduraram faixas em diversos pontos de Belo Horizonte protestando contra o atual momento do clube. As críticas pareciam voltadas à diretoria, pela falta de investimentos.

Gazeta Esportiva

A atual gestão do clube tem problemas de relacionamento com a principal torcida organizada, a Galoucura, por divergências quanto a privilégios na aquisição de ingressos.

No entanto, as mensagens espalhadas pela capital mineira pediam a saída do treinador e de alguns jogadores, o que poderia desestabilizar o grupo. Se depender de Alexandre Gallo, isto não vai acontecer. “Eu acho que é normal. Vivemos num país em que a liberdade de expressão é garantida por lei. Estou tranqüilo, confiante no trabalho dos atletas e vamos tocar firme”, afirmou.

Para o comandante, nem mesmo a goleada sofrida contra o São Paulo é suficiente para abalar os atletas. “O grupo está muito consciente, os trabalhos têm sido bons. Espera que o time se adapte o mais rápido possível ao que aconteceu. A vida segue, a competição segue, nós temos um jogo importante na quinta-feira e precisamos vencer”, acrescentou, reconhecendo que o time estará pressionado na partida contra o Ipatinga.

Quanto à escalação, Alexandre Gallo foi evasivo como sempre. A dúvida no ataque é enorme, com Marques e Danilinho contundidos. Almir, Beto, Eduardo e Renan Oliveira disputam duas vagas. Na zaga, o treinador deu a entender que ainda não é a hora certa para que Marcos volte, até porque está com dores no tornozelo.

Já o volante Márcio Araújo está sim nos planos do treinador, desde que tenha condições. “A gente está fazendo esta análise junto com o departamento médico e o departamento físico para que, se ele jogar, ele possa estar 100%. A gente não pode correr risco, é um jogador importante”, afirmou.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo